Domingo, 15 de Maio de 2011

 

Fossem meus os tecidos bordados dos céus,
Ornamentados com luz dourada e prateada,
Os azuis e negros e pálidos tecidos
Da noite, da luz e da meia-luz,
Os estenderia sob os teus pés.
Mas eu, sendo pobre, tenho apenas os meus sonhos.
Eu estendi meus sonhos sob os teus pés
Caminha suavemente, pois caminhas sobre meus sonhos.

 

William Butler Yates - 1880

 

Às vezes apetece agarrar no braço de alguém e pedir-lhe que vá devagar, que "pise" com cuidado, que não se esqueça que, em baixo, estão os nossos sonhos...

Um dia escutei que uma pessoa pode ser/ficar "quebrada" e achei estranha a expressão.

Anos mais tarde, entendi-a.

Ainda hoje, tanto tempo depois - tanta vida vivida -continuam as rachas apesar da "cola" e dos remendos de crescimento que já levou.

Estranho o nosso coração...

Há mesmo palavras que não se deviam pronunciar...



publicado por Marta M às 16:12
Às vezes é um arrepio passar por aqui...
Fabuloso o post!
Tomo a liberdade de partilhar um excerto de um texto do MEC "O amor é que fica quando o coração está cansado. Quando o pensamento está exausto e os sentidos se deixam adormecer, o amor acorda para se apanhar. O amor é uma coisa que vai contra nós. É uma armadilha. No meio do sono, acorda. No meio do trabalho, lembra-se de se espreguiçar. O amor é uma das nossas almas. É a nossa ligação aos outros. Não se pode exterminar. Quem não dava a vida por um amor?"
teoriasdacosta a 18 de Maio de 2011 às 22:27

Lindo Paula.
Não conhecia este poema do MEC.
Acredito nessse amor que nos sobressalta e se instala dentro de nós..Nos ocupa e "nos acorda"..
Acredito queo tenha escrita para a Maria João, será?
São lindas as crónicas que ela já lhe dedicou na sua coluna diária do Público. De uma sensibilidade única.
Para além, claro, da inteligência.
o meu post, mais modesto..É apenas a vida a pulsar dentro de mim e que, há dias em que tem mesmo que sair...
Assim nasceu este blog ;)
E vê as pessoas fantásticas que ele me vai permitindo conhecer...
:)
Abraço e bom fim de semana

Marta M
Marta M a 21 de Maio de 2011 às 22:14

Que bonito post (mais um!) que aqui partilhas.

Deixo-te aqui um beijinho
Caminhando... a 20 de Maio de 2011 às 00:01

Olá Joana:
Tudo bem?
Já sei que há boas notícias na tua casa.
Fiquei muito feliz :)
Abraço e obrigada pela visita e pelo simpático comentário
Marta M
Marta M a 21 de Maio de 2011 às 22:08

Olá Marta! Vim deixar-lhe um beijinho doce e desejar-lhe s ai e todos que ama um abençoado fsemana
Fátima Soares a 20 de Maio de 2011 às 23:39

Olá Marta minha amiga, peço-lhe imensa desculpa do que vou fazer uma vez que é fsemana e tem muitos afazeres, mas sei que me vai ajudar porque vai de certeza compreender o que me leva a isto, embora eu o faça com muito medo de ser mal interpretada. Preciso da sua ajuda por a considerar um exemplo como mãe e como professora lida se calhar também com este problema que é arrasador. Eu vou fazer um post e estou um pouco perdida não sei se o faça em inglês para não ferir a susceptibilidade da pessoa envolvida, mas não vejo outra solução que não pedir ajuda e não queria que ela pense qe estou a trair a confiança dela. Portanto o meu post em português diz basicamente isto:

A todos que me lêm e terão alguma consideração por mim e pelo que digo. Estou a escrever em inglês ( o que poderá parecer ridículo) uma vez que com as "ferramentas" de hoje qualquer um traduz, mas preciso da vossa ajuda. Sozinha temo não conseguir. Falo ultimamente com alguém, muito jovem, que se sente a ponto de cometer suicídio... Que está desesperada e não vê muito mais na sua frente. Por vontade do destino, quis Deus que nestes blogs que abri me encontrasse com ela e como acredito que nada é por acaso, tenho falado, tentado ajudar como sei, como psso, como se fosse uma filha minha. Mas penso que se houvesse mais alguém de vós, mais velhinho como eu ou um pouco mais novo mas pai, mãe, crescido, (mental e emocionalmente) que também ajudasse esta jovem e falasse com ela, entretendo-a, fazendo ver que morrer não é fuga nem resposta e um dia ela ainda será muito feliz, agradecia-vos de coração... Quem o quiser fazer por favor mande um mail para mfr_sr@sapo.pt e um darei o link do blog da jovem, mas por favor entrem em contacto com ela normalmente sem dizerem que vão da minha parte, pois só assim ajudam e não parece que estou a trair a confiança dela... Por favor eu estou muito preocupada. Pensem nos vossos filhos, irmãos, netos... OBRIGADO A TODOS!

Se puder fazer fazer alguma coisa por favor, fazer-lhe ver como a vida é importante fico muito grata. Se quiser ler um pouco do qe ambas falámos está no meu blog
http://letrasquepecam.blogs.sapo.pt e no post Cinco sentidos.
Um grande beijinho e o melhor do mundo para si .
Fátima Soares a 21 de Maio de 2011 às 16:12

Obrigada Marta minha querida amiga por ter lá ido e tão bem ter dito o que é preciso ser ouvido. Optei por não fazer o post . Acho que ela merece que tenha respeito e consideração e não me deu autorização para "falar" da vida dela, para a "apontar" a dedo que talvez fosse o que pensasse se lesse. Assim é melhor. Eu não ganho nada, nem pretendo ganhar , em fazer pots sobre estes casos, ganho apenas a grande tristeza que sei existir como a Marta sabe na nossa juventude e fico de coração partido ao pensar que podia ser uma filha minha se a vida fosse diferente. Minha amiga agradeço-lhe de oração. MUITO OBRIGADO por ser uma pessoa tão boa para mim. Ela é uma miúda e carrega muita revolta e como diz está perdida. Não custa nada como mais adultas fazer um pouco de "companhia" dar um pouco de colo...Quando mesmo "grandes" precisamos tanto de colo nós próprias.... Depois que Deus a proteja a ela e a todas nós. Um imenso abraço e tudo de bom.
Fátima Soares a 21 de Maio de 2011 às 18:47

Fátima:
Como refere uma amiga minha sobre mim: és demasiado mãe.
E acredito que a Fátima também o é.
Sou, Fátima, e sou ao ponto de dizer o que é importante ser dito.
o que ajuda a crescer, o que propõe caminhos de futuro.
Ser mãe é tudo isso e, como bem refere, dar colo também.
Lamentar a situação desta jovem é absolutamente incontornável.
Agora é preciso, também, dotá-la de ferramentas para lidar com tudo o que lhe cai em cima.
Porque não me parece que os adultos que a cercam a andem ajudar a clarificar o caminho...O pai então, precisa mesmo é de frequentar uma "escola para pais", acredito.
É isso Fátima, temos mesmo que ir dando uns colos e umas orientações um pouco contra a corrente e desejar que esta jovem encontre um caminho de futuro.
Acompanharei de perto a situação. Sei que a Fátima fará o mesmo.
Hoje não coloquei o link do meu blog, ara que ela não lesse este seu apelo. Não se preocupe.
No fundo, ainda teves sorte essa jovem, encontrou-a a si que se preocupou por ela e vai continuar a acompanhar, eu sei.
Podia ser nossa filha, tem razão.
Abraço Fátima e obrigada por ser atenta e generosa.
Marta M
Marta M a 21 de Maio de 2011 às 22:32

Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

29
30
31


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO