Domingo, 01 de Maio de 2011

Existe mais de uma forma de ser mãe.

Mas ser mãe é sempre ser exemplo. De trabalho, de amor, de talento, de força, de caracter, de bondade...Ou de outros menos positivos, infelizmente.

Daí a enorme responsabilidade.

Por isso fica aqui este postal em branco, aberto, por preencher...Cada um escreverá o que sentir ser justo.

Porque, sinto muito, já não embarco em poemas aplicados a todas as as mães do mundo.

Já vi e vivi demasiado, na vida e na escola, para alinhar nesses violinos a tocar para todos....

Para ser mãe, ou pai, não basta ter filhos.

Não basta querer, não basta alimentar, comprar roupas bonitas ou todos os telm e carros disponíveis -é preciso ser capaz fazer um esforço quase sobre humano em alguns dias.

É preciso deslocar o nosso coração para fora do peito...

É preciso ter coragem de vencer o nosso ego e ter os filhos para a vida, não apenas para nós. Ou para nos preencher uma lacuna ou a falta de atenção e orientação de que possamos ter sido carentes na infância.

É preciso vencer o nosso egoísmo que permite que sejam dependentes, para que sempre precisem de nós e assim garantir a sua permanente proximidade, ainda que notoriamente por "necessidade"deles, não por amor puro, reconhecimento ou companheirismo.

É preciso respeitar os filhos profundamente para nunca- mesmo quando eles ainda são pequenos e não se dão conta- os coloquemos em segundo plano, ou os utilizemos como armas de arremesso ou corrompamos o seu carácter em nome seja do que for. Ou pior, a sua autonomia ou o seu futuro como pessoas inteiras e responsáveis.

É preciso ser mãe de coração aberto, e amando-os o suficiente para tudo fazer que permita que a sua vida seja melhor que a nossa - em todos os sentidos.

E para se ter uma boa vida é preciso fazer crescer em vários sentidos.

Amá-los é deixar que isso aconteça e deixá-los ter futuro, não atrasar o seu crescimento ou a sua formação, que há de contribuir (aposto nisso) para que este mundo seja um lugar melhor com a sua vinda.

Permitir que os filhos deixem a sua marca positiva, ainda que modesta, neste mundo onde tantos fazem e repetem os mesmos erros é a central inspiração do meu papel de mãe.

Quando um dia fechar os olhos, gostava de levar esse amor e esta certeza...

Bom dia a todas, especialmente à minha



publicado por Marta M às 13:18
Sim querida Manu , não é de perfeição que falo. Longe de mim amiga, ainda ando a tentar perceber o caminho,
apenas alerto para a certeza que estamos a dar sempre o exemplo - o bom e o mau.
E muitas mães parecem não se dar conta disso e assusta-me como mãe e como professora. Por isso alerto.
Quanto a escolhermos a família pois...a ideia é assustadora tendo em conta que, imensa gente, desde pequena se sente um ET dentro da sua casa...Quererá isto dizer que tínhamos que ser "puxados" para baixo para aprender uma lição?
Difícil essa depuração e esse crescimento, não?
Tens que contar-nos mais sobre isso amiga...
Abraço grande e grato pelas palavras bonitas que espero merecer um dia, quando estes "filhos da vida" voarem...
Marta M
Marta M a 8 de Maio de 2011 às 20:03

Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

29
30
31


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO