Terça-feira, 19 de Janeiro de 2010

 

  "Uma tartaruga e um escorpião nunca se entendiam, a tartaruga temia-o e conhecia-lhe a natureza...

 Um dia, no meio da tempestade, o escorpião quis atravessar para o outro lado do rio e viu a tartaruga aflita para atravessar para a outra margem, porque nadava com a a cabeça debaixo da àgua e mal conseguia ver o caminho no meio dos detritos que flutuavam...e perguntou:
- Tartaruga, eu vejo melhor o caminho em cima da tua carapaça e ajudo-te, levas-me para a margem mais segura do rio?
-  Não, não levo, escorpião. - disse a tartaruga.
- Então porquê? - perguntou o escorpião, deveras admirado.
- Olha, porque me ias picar e morreria do teu veneno, já se vê! - redarguiu a tartaruga mas logo ripostou a o escorpião...
- Não, não! Sabes porquê? Porque se eu te picasse morreríamos os dois afogados e eu não seria tão estúpido a esse ponto, não achas? Só quero atravessar para outra margem...
A tartaruga pensou, e disse:
- É verdade, escorpião, se me picasses morríamos os dois, e eu não acredito que tu queiras morrer afogado. Anda, salta para a minha carapaça, indica-me o melhor caminho, e eu levo-te até à outra margem!
E assim foi... o escorpião enrolou a cauda com o espigão em sinal de paz e elegantemente pousou na carapaça. Contente com a boleia, o escorpião ria-se e falava animadamente com a tartaruga, até que a meio da viagem, no meio de gargalhadas, o escorpião solta o espigão, espeta na carapaça da tartaruga e injecta o veneno fatal...
E a tartaruga disse admirada:
- Então, escorpião, julgava-te de confiança, agora vamos morrer os dois...
O escorpião encolheu-se e disse antes de morrer afogado:
- Tens razão, desculpa. Mas sabes, vai contra a minha natureza e quanto a isso não posso fazer nada...É mais forte que eu! "
(Fábula de Esopo)

Pois é, eu sei.

Há muitos anos que conheço esta fábula e, aceito-a como uma expressão honesta da nossa condição humana... Infelizmente.

OU pelo menos de algumas condições humanas, rectifico.

Ressalvando desde já que sou uma profunda crente na capacidade de regeneração da humanidade e que sei, todos somos habitados por uma humanidade ancestral e comum, e que, com o esforço certo, todos podemos aceder a ela...

Pois, mas nem todos têm acesso ao caminho que nos conduz a ela, porque não tiveram o exemplo ou o apoio na medida que precisaram e outros, pura e simplesmente, não querem, não sabem ou não conseguem mudar.

E a nós, que estamos perto ou nos cruzamos com eles na vida, resta tentar/saber reconhecê-los e, nesse exercício, mesmo ajudando-os, preservar-nos e tomar as devidas precauções.

Sim, e esquecer o nosso ego que nos faz pensar ingenuamente que, a mim,

ela/e não fará isto, ou aquilo...

Fará. Não tem a ver connosco, ou com o tanto que fazemos, mas sim com ele/a.

É uma questão de tempo ou situação.

 

 

Nota - Exemplos:http://www.ionline.pt/conteudo/42543-ali-agca-volta-atacar

 



publicado por Marta M às 10:44
Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
15
16

17
18
20
21
22

24
25
27
28
29
30



Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO