Sábado, 29 de Setembro de 2012

Mesmo mais reflexiva e silenciosa, não recuso a minha voz quando a injustiça me cerca...

Estarei amanhã em Lisboa a mostrar, a reforçar o meu desagrado e a exigir que a austeridade necessária seja também mais humana e gradual.

Porque "Vemos, ouvimos e lemos - não podemos ignorar (Sophia de Mello Breyner)", porque a vida sempre flui e estamos sempre a tempo de a recomeçar...

Porque temos bons e óptimos amigos que partilham vídeos inspiradores quando mais eles nos fazem falta...

Pelo que ficou dito e por todo o potencial mudança que sempre existe à nossa frente, vou à luta e deixo aqui este vídeo que veio por mão amiga e que já hoje me fez voltar sorrir...

E continuar a acreditar.



publicado por Marta M às 01:39
Sábado, 07 de Janeiro de 2012

O sorriso e o riso têm essa capacidade de olear as relações ou desanuviar os ambientes mais tensos...Não me restam dúvidas dessa evidência.

Mas também sinto que o gesto é hipervalorizado e, nessa inflação de valores, exigido em excesso.

Porque me parece que temos que ser sempre inteiros em qualquer momento da nossa vida e que ela tem momentos para tudo e para todos os sentimentos que atravessam a nossa alma, pedir a todos que sorriam (ou riam) continuamente, é quase uma exigência injusta e limitadora da nossa condição humana.

Como já referi por aqui, sorrio muitas vezes e uso esse gesto para a maioria das relações sociais, profissionais e familiares com que me deparo...

Mas não sorrio sempre.

Provavelmente apenas em contadas ocasiões dou uma ou outra gargalhada. Só mesmo quando me saí da alma e nunca por conveniência ou para preencher um vazio social...E isso faz com que as pessoas me tomem por demasiado séria e, provavelmente, menos simpática? Talvez... 

Mas é algo que me define e, portanto, está acima da consideração de quem quer formatar tudo e pedir a todos que reajam por igual.

Pessoalmente, entendo que a falta de atenção, de cortesia ou consideração pelos outros, são muito mais difíceis de gerir do que algum silêncio e contenção social.

Optimista por convicção inabalável de que "melhor é possível" (L.A) e pela natureza da minha profissão, recuso-me, no entanto, a alinhar nessa "obrigação" social que exige a todos que sejam divertidos a todas as horas. Compreendo o desconforto que a ausência da risota encadeada provoca nos convívios sociais, mas...

Sinto muito, há dias em que não é possível.

 



publicado por Marta M às 16:21
Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
Lugares que Também visito ;)
http://optimismoemconstrucao.blogspot.com/ http://joaodelicadosj.blogspot.com/ http://theosfera.blogs.sapo.pt/
pesquisar neste blog
 
Contador de visitas ...
E neste planeta...

contador gratis
subscrever feeds
blogs SAPO