Sábado, 24 de Outubro de 2009

Saber esperar

(imagem da internet)

 

Haverá coisa mais difícil?

Dar tempo ao tempo, dar espaço para que tudo se encaixe (sabemos) no tempo certo.

Pois... saber, sabe-se. A questão é que somos apenas humanos...

A questão é que ter paciência é um exercício de aprendizagem para toda uma vida, a questão às vezes nem tanto o "se chegará", é o "quando"! A questão é que ninguém sabe se, quando chegar o momento, estará perto para assistir.

A questão é que confiamos, a vida e a experiência que ela traz já deram mostras que assim será, que tudo fará sentido no fim - sinto-o/sei-o cá dentro. Mas nesta dimensão onde nos é dado viver, precisamos de ir conferindo que o caminho está mais ou menos próximo.

Acordamos de manhã e gostaríamos que fosse esse o dia da "resolução", ou o de sentir o alento de verificar que, pelo menos, a harmonia está de volta ou apenas um pouco mais próxima.

Lemos, experienciamos e compreendemos que tudo tem o seu tempo, mas no fundo, cá dentro, todos nós (mesmo os mais pacientes e serenos) pediríamos o dom da paciência ou apressaríamos os acontecimentos, se um qualquer  Mago que se cruzasse connosco nos oferecesse essa possibilidade.

Mesmo correndo o risco de perder toda uma aprendizagem que nos ajuda a compreender e a fazer o caminho. Há dias em que parece que não aguentamos mais ou temos demasiada pressa.

O pior é que, nessa altura, estragaríamos a harmonia do Universo com a nossa pressa que turva ainda mais a visão recorrentemente incompleta que vamos tendo do Todo...

Ainda bem que, nesta semana complicada, não me surgiu nenhuma Bruxa ou Mago, provavelmente tinha dado cabo de tudo.

Melhor assim.

;)

 

 

 

 

 



publicado por Marta M às 23:13
Marta

"A paciência é a coragem de todos os dias". E de quanta coragem precisamos, não é mesmo?
Santa Catarina de Sena considerava a paciência "a medula da caridade": "O seu mérito é discreto, mesmo quando é levado até ao heroísmo: Sofrimentos físicos e morais, suportados sem se exprimir para não fazer sofrer quem nos rodeia..."
A paciência é, para mim, uma das maiores virtudes. Há uma imagem da minha Mãe de que nunca me esquecerei: Um imagem da sua imensa paciência. Eu ainda tenho uma longa aprendizagem a fazer para a alcançar dessa forma. Desejo-te alento e coragem neste domingo e semana que se inicia.
descobrirafelicidade a 25 de Outubro de 2009 às 09:55

Marta

Ainda a respeito do post anterior, recebi hoje um e-mail que me fez lembrar-te. O amor "é trabalho que exige fôlego e muito bem-querer. E, às vezes, dura uma existência inteira.

Mas, não resta dúvida de que é altamente compensador. Colaborar para que alguém cresça, encontre a sua felicidade, é muito gratificante.
Assim sendo, você que assumiu a missão de educador precisa conhecer os seus educandos e fazer por eles o melhor ao seu alcance, com amor e dedicação."
É essa lição de amor que dás diariamente aos teus alunos, exemplificada nas tuas acções, que transformará a pedra que te foi confiada num belo diamante, tenho a certeza.

descobrirafelicidade a 25 de Outubro de 2009 às 10:09

Teresa:
Essa imagem que guardas da tua mãe é uma preciosidade e uma bênção, sabes isso, não sabes? Ter tal exemplo ao crescer ajuda a começar o caminho com alguma avanço...
Já disse e repito-o: Adoro bons exemplos, servem para comprovar neste mundo de cépticos que (como diz a Laurinda Alves): "Melhor é mesmo possível"
Acredito que nos inspiram e permitem manter alguma elevação na vida e nesse mundo. Acredito pessoalmente que, dar bons exemplos é obrigação moral de todos os que têm a consciência desenvolvida e lúcida.
Faço-o na vida, com os meus alunos e, mesmo que me custe uns dias mais que outros, procuro dar o meu contributo.
Exercitar a minha paciência e dar testemunho disso é um exercício diário...Nunca terminado de facto.
Abraço grande e boa semana
Marta M a 26 de Outubro de 2009 às 22:34

Já estive para escrever um post muito parecido com este e teria muito provavelmente pensamentos semelhantes. Dei comigo a concordar com tudo o que escreveste. Ainda bem que para ti a compreensão da espera já chegou.
Bjns
cuidandodemim a 25 de Outubro de 2009 às 15:00

Amiga:
Agradeço as tuas palavras e devo dizer-te que, apesar de ter dias em que me parece que tudo faz mais sentido..Outros há em que tenho sérias e profundas dúvidas sobre o caminho...
Enfim, faz-se o que se pode em cada dia.
Abraço
;)
Marta M a 26 de Outubro de 2009 às 22:37

OLá Marta!

A Paciência é um dom, mas um dom extremamente poderoso, que Deus nos dá ao nascermos. É um dos dons mais felizes que os restantes, porque a Paciência desenvolve-se, mais e mais, pelas contrariedades que enfrentamos. Quanto mais pacientes, mais sapientes seremos a olhar o que nos rodeia, e a desvalorizar tudo aquilo que nos acontece, ou mesmo terá acontecido, para que o futuro nunca seja de desejos irrealizáveis e o presente vivido tranquilamente!

Abraço

Marcolino
Marcolino Duarte Osorio a 25 de Outubro de 2009 às 18:30

Marcolino:
Gostaria de concordar com tudo o que diz, ou pelo menos sentir que me faz um eco cá dentro...Concordo que são as dificuldades que nos fortalecem a paciência ...Mas não sei bem se "nascemos pacientes" ou se, pelo contrário, alguém nos ensinou, mostrou como sê-lo (Veja o que respondi à Teresa...)
O dom parece-me ausente de tantas pessoas de idades variadas que, duvido seriamente que fizesse parte do nosso "pacote" primordial..
A minha conquista nesse campo foi tirada a ferros, mais por perseverança e estudo meu que por qualquer exemplo que pudesse ter colhido ao longo do meu crescimento. Infelizmente.
É assim mesmo, e seguindo a sua filosofia há que olhar sempre em frente, não é ?
Esse seu sentir, já se constatou, também é um bom exemplo.
Obrigada e abraço amigo
Marta M a 26 de Outubro de 2009 às 22:54

Marta:
Sem desejar ferir alguém, apenas poderei acrescentar que, dentro dos altos e baixos da minha vida passada, alturas existiram em que quase perdi tudo de uma assentada só.
Essas vivências disciplinaram-me a ser paciente sem me imolar.
Um dia acordei com uma calma enorme que quase me afligi. Eu conhecia bem demais este tipo de calma.
De uma assentada fiquei sem ver, fiquei sem familia, fiquei sem bens pessoais e fiquei sem amigos.
Pacientemente disciplinei-me para me reerguer, por mim mesmo, sem quaisquer ajudas extras.
Hoje tenho uma forma de estar na vida, muitissimo diferente da anterior.
Se fui construindo a minha felicidade com base nos bens materiais e na familia, depois de tudo ter perdido, resolvi então optar por ser feliz sem nada daquilo que construi.
Se resultou?
Olhe, Marta, resultou em pleno e, tal como dantes era feliz, hoje serei tanto ou mais feliz depois de tudo perdido.
Como é que isto funcionou?
Foi com muita sapiencia vinda das experiências anteriores que me deram uma paciencia tranquila e inteligente...
Não aparece em qualquer livro ou mesmo tratados de psicologia. É uma questão de predisposição para se ir ao fundo das questões anteriores, e esvaziá-las de todos os conteúdos ditos exarcebados.
Se tiver o seu carro à beira de se atolar nas areias de uma qualquer praia, tente esvaziar todos os pneus, não por completo, mas perto do meio e verá como, com muito pouca velocidade conseguirá, tranquilamente e sem pressas, sair daquele deserto de areias quase que movediças.
Vai ver que funciona; é uma questão de simples opção de vida!
Uma boa e santa noite!
Abraço
Marcolino
Marcolino a 26 de Outubro de 2009 às 23:44

Marcolino:
desculpe-me a demora na resposta, mas esta semana tive dias de sair de casa às 7h da manhã e entrei às 20h... .:p
Mas se ainda vou a tempo de lhe responder ao comentário lhe direi que essa "calma " que refere e se sente quando finalmente deixamos "fluir" ou simplesmente perdemos tudo ao mesmo tempo...É um sentimento que infelizmente conheço de um momento particularmente difícil da minha vida.
No princípio a "calma" era tanta que até assustava....
Obrigada pelos seus testemunhos sempre tão eloquentes.
Abraço amigo
Marta M a 30 de Outubro de 2009 às 22:12

Oi Marta,

Muito bom o seu post.
Para mim paciência aprende-se e acaba se tornando uma virtude. Paciência a meu ver anda de mãos dadas com a sabedoria.

Abraços e tenha uma excelente semana
Simone Cardoso a 25 de Outubro de 2009 às 20:01

Simone:
Gosto de a ver por aqui vinda do outro lado do Atlântico.
Internacionaliza os nossos debates ;)
E por cima tem razão, já que a sabedoria resulta muito da observação e da aceitação da fluidez da vida,qualidades essas que só se desenvolvem no exercício da paciência militante.
Abraço e muito boa semana também ;)
Marta M a 26 de Outubro de 2009 às 22:58

Olá Marta
Nós sabemos, nós temos consciência, nós somos lúcidas, sabemos o que é incorrecto, sabemos que devemos ter paciência, que o universo se encarrega de nos trazer tudo a seu tempo e na melhor hora, mas...e há sempre um "mas", por vezes a pressão , a vontade de virar a mesa, de gritar, a sensação que não vamos aguentar e que podemos explodir a qualquer momento , cria em nós uma guerra interior difícil de gerir.
...E então do mais profundo do nosso ser surge aquela maldita lucidez e pensamos...mais um teste á minha paciência..respiramos fundo e...quando menos esperamos a calma regressa. Vencemos mais uma batalha. Que bom!
Uma boa semana para ti.
Beijos
Manu
Existe um Olhar a 25 de Outubro de 2009 às 22:59

Manu:
Encontrei uma boa ressonância do que escrevi na tua resposta. ;)
É exactamente isso, é o saber - o ter aprendido -mas continuar a ser humana e, como tal, vulnerável e....falível.
Tudo nos pressiona e nos põe à prova e mesmo com as parendizagens feitas, parece que de vez em quando, lembra-se o Universo de nos testar uma e outra vez.
Se calhar a a confirmar se aprendemos mesmo...
Complicado o caminho ou..complicados nós!
Abraço grande e obrigada pela tua empatia.
Marta M a 26 de Outubro de 2009 às 23:04

Marta,
Tenho vindo aqui, leio todas as vezes o que escreveste e evito comentar. Depois vou com um aperto de falta de honestidade...por isso hoje venho redimir-me.
Paciência??? Tenho dificuldade em soletrar, até! Sei que ainda tenho muitos caminhos a percorrer mas confesso-vos, ou aparece um TGV que me faça percorrer esse caminho com alguma rapidez ou ficarei para sempre na estação a ver o comboio passar.
Verdade,não tenho paciência nenhuma...esta palavra baila em mim muitas vezes pela impaciência que sinto em não ser capaz de ser paciente...
Eu, impaciente me confesso.
Abraços de boa semana.
Nucha a 26 de Outubro de 2009 às 23:24

Nucha :
Desculpas também para ti pela demora... :(
Isto não anda fácil.
Percebo-te e revejo-me no teu testemunho. Porquê?
Porque estou lá eu todinha há poucos anos...
Quer dizer, de vez em quando ainda surgem todos estes sentimentos dentro de mim..Mais vezes do que eu gostaria de admitir...
É dificílimo ficar quieta e calma perante tantas coisas. Com o tempo (e com a vida) percebemos que o melhor a fazer para sobreviver com alguma saúde mental é...aceitar "o que não podemos mudar"
Mas isso, tens razão, não se consegue todos os dias e, portanto, é aprendizagem para toda a vida. Mas pelo que leio de ti, permito-me dizer que sim, tens até bastante paciência..
Não estranhes! Quero lembrar a tua "paciência e resistência" na tua dedicação e empenho quando te importas e procuras mudar e "consertar" este mundo todos os dias com o teu voluntariado
Para impaciente e perante os lentos resultados que vamos tendo..Até tens muita paciência. ;)
Abraço calmante :)
Marta M a 30 de Outubro de 2009 às 22:25

a paciencia é de facto uma grande virtude.beijinhos e abracos cozinhaki
cozinhaki a 27 de Outubro de 2009 às 18:35

Olá!
É um gosto receber-te por aqui.
Quanto a esta virtude, ando todos os dias à caça dela!
Há dias em que me escapa ;)
Abraço
Marta M a 30 de Outubro de 2009 às 22:27

Olá amiga Marta!
Belo tema este.

Penso que ao longo do tempo e ao longo que a vida nos vai ensinando, vamo-nos formando e, muitas vezes temos de escolher que caminho seguir. Neste caso, há quem ache que como a vida é dura, o melhor é, refilar e ser severo com tudo pois, não há ca perdas de tempo com coisas que não interessam, enquanto que, outras, pensam que, a vida é dura sim, e é com calma que vamos conseguir digerir tudo o que ela nos traz e que, tudo tem o seu tempo e, havendo esforço e dedicação, sonhos podem ser realizados.

Abraço meigo
Caminhando... a 29 de Outubro de 2009 às 15:12

Joana:
Desculpa - me também a demora..
É uma vergonha
Mas não consigo fazer melhor nesta semana!
Ainda não consegui sequer colocar aqui o desafio no blog. E tu amiga tão gentil comigo!
Amanhã de manhã devo tratar disso, prometo.
E desde já concordo contigo pois com "havendo esforço e dedicação, sonhos podem ser realizados" e muita paciência e persistência" à prova de bala" às vezes.
;)
Que vida complicada a nossa, não?
Abraço agradecido pelo selinho ;)
Marta M a 30 de Outubro de 2009 às 22:34

obrigado pela ajuda marta felicidades eu vou passando por este interessante blog beijinhos e abraços cozinhaki
cozinhaki a 31 de Outubro de 2009 às 14:13

Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

19
20
21
22
23

25
26
27
28
29
30


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
Lugares que Também visito ;)
http://optimismoemconstrucao.blogspot.com/ http://joaodelicadosj.blogspot.com/ http://theosfera.blogs.sapo.pt/
pesquisar neste blog
 
Contador de visitas ...
E neste planeta...

contador gratis
blogs SAPO