Segunda-feira, 19 de Novembro de 2012

 A todos os amigos que aqui deixaram uma mensagem e muita energia positiva, fica a minha penhorada gratidão.

À vida porque me permitiu aprender outra valiosa lição.

Foi bom vir aqui e ler palavras encorajadoras -ajudavam a pensar que não estava sozinha, como na realidade me sentia...

O meu pai recupera devagar e, apesar de alguma confusão pontual e de dores constantes, penso que conseguirá reconquistar a sua vida e a sua autonomia.

O meu pai vive sozinho e separado da minha mãe há muitos anos.

Vitima de atropelamento, fracturou a clavícula, a omoplata, duas costelas com consequente rasgão da Pleura e, o mais preocupante, uma ligeira FCE com um pequeno derrame interno. Tudo isto aos 76 anos, feitos ontem.

Foi um milagre não ter tido mais ferimentos. Ou não ter tido um desenlace mais triste.

Falarei com detalhe mais tarde sobre o transformadoras que foram estas duas últimas semanas, para ele e para mim, principalmente.

Frente a frente, estivemos sozinhos numa enorme casa perante a adversidade. E uma relação que sempre foi distante e tensa, perante a necessidade e  sem alternativa, tornou-se próxima e fisicamente dependente.

E instalou-se um sentimento de compaixão que restaurou amor...

Para queles que como eu, acreditam que nada ocorre em vão ou por acaso, partilharei mais isto, porque foi sentido e creio que muitos de nós, se estivermos atentos, recebemos sinais semelhantes...

Nesse dia  (Sábado) de manhã, quando  andava às compras, os meus olhos pararam num senhor que estava de costas para mim. Visto de  trás era exactamente como o meu pai.

Ele nunca se virou e não lhe procurei o rosto ( o meu pai mora longe daqui), mas fitei-o por momentos a pensar que sabia tão pouco dos hábitos do dia-a-dia e de compras do meu pai, que há tantos anos vive afastado e voluntariosamente autónomo...

Continuei por entre escolha a de laranjas a observá-lo de forma discreta e... o sentimento veio do nada:  Saudades.

Saudades? Mas de onde veio isto? - pensei.

Sem entrar em exposições desnecessárias ou na devassa da vida da minha família, direi apenas que "saudades" é um sentimento que experimentei poucas vezes nesta relação  que  está  longe de ser próxima ou fluida...

O sentido ficou a bater forte dentro de mim e falei dele ao almoço em casa, todos estranharam porque como referi, não é usual na nossa dinâmica familiar.

Senti-me estranha e incomodada toda a tarde.

À noite, 20.30h, veio a razão:

- "D.Marta M? É do hospital da G., o seu pai foi atropelado e segue, grave, para Coimbra".

 

Lemos e contam-nos sobre situações semelhantes, mas só quando acontece connosco

é que percebemos o quão surpreendente pode ser a vida.

E como ela nos conduz...

 



publicado por Marta M às 19:29
Querida amiga
Ando há muito para saber do estado do teu pai, porque li o teu post e não o comentei e arrependo-me por não o ter feito, mas o facto é que o que escreveste no último post não me saía da cabeça..há uma razão para tudo e não descobri qual.
Hoje venho aqui e deparo-me com o relato de tudo o que se passou e o que mais mexeu comigo, foi o que sentiste, as interrogações que colocaste a ti própria, a premonição, as coincidências...e concluo tal como tu, que nada é por acaso.
Uma relação que era distante e fria, talvez se tenha modificado, infelizmente através de um acontecimento triste, a tua maneira de ver e sentir, quem sabe tenha estreitado laços há muito perdidos. O Universo está sempre a surpreender-nos.
Agora resta-me desejar que o teu pai tenha uma recuperação rápida e que o pior já tenha passado.

Beijinhos amiga
Existe um Olhar a 19 de Novembro de 2012 às 19:55

Manu:
O Universo dá cabo de todas as nossas certezas,quebra-nos qualquer tipo de arrogância (mesma que ligeira) que possa existir dentro de nós...
Trava-nos e leva-nos a enfrentar as batalhas que andamos a adiar...
Embora o passado não se enterre, nem tudo seja possível resgatar, é possível melhorar sempre qualquer relação, avançar..
Sinto-me assim:a avançar e ainda nem sei bem, devido ao agudo da situação, até poderemos ir. Ou aonde eu quero ir, mas as surpresas têm sido boas e..reconfortantes.
As intuições? tantas, basta estar atenta :)
Um abraço grato pela tua sempre presente amizade e compreensão.
Marta M
Marta M a 8 de Dezembro de 2012 às 19:40

Olá Marta! Fico feliz por o seu pai estar a melhorar e por tudo o que conta aqui. Sei como é que relações que esfriam porque o coração é ferido e depois não há mais frio entre ambos porque os laços de família de sangue estão acima de tudo. E falam muito mais alto deixando essas lembranças menos boas e o nosso lado magoado para trás para só querermos ver a pessoa bem e que tudo volte ao normal. E não quero ser vaidoso ou considerar-me diferente mas essas "intuições" o sexto sentido ou a vida mesmo em mim... Nem queira saber! Há situações que "adivinho" me tocam na pele antes de acontecerem e nem há explicação simplesmente ficamos estarrecidos depois quando acontece e nós já (ou houve alguma coisa cá dentro) que já nos alertou para que algo estaria diferente ou ia passar-se. Amiga para si e o seu pai um beijinho, para ele continuação de melhoras para si a minha admiração de sempre e os desejos do melhor para todos que ama também. Um abraço apertado. Com amizade sincera. Boa semana!
Fátima Soares a 19 de Novembro de 2012 às 20:33

Fátima:
As intuições estão ao alcance de qualquer pessoa, basta que se esteja atento a alguns sinais..Eles, como bem sabe,existem.
Às vezes é são as nossas "supostas" certezas e distracções que nos impedem de as sentir...Na pele.
Por isso cultivo a paz e a aclama sempre que posso, porque são nesses momentos que entro em contacto com elas :)
Outro dia lembrei-me de si quando comemoramos o Dia de Acção de Graças cá em casa, sei que gosta da ideia :)
Este ano há muito que dar graças, apesar de tudo, o meu pai recupera bem e parece que breve estará autónomo.
Um abraço grato pela amizade e pelas visitas :)
Marta M
Marta M a 8 de Dezembro de 2012 às 21:55

Querida Marta,

Que situação... Um grande, terno e demorado abraço para ti e desejo que o teu pai recupere bem e fique totalmente restabelecido! Quanto à ligação parental, a vida tem coisas curiosas, e esta pode ser uma oportunidade de ficarem em paz um com o outro ou, pelo menos, consigam estar mais próximos.

Grande beijinho!!
Caminhando... a 19 de Novembro de 2012 às 21:40

"Em paz um com o outro"
Isso,parece que foi possível e,se não vier mais, já me trouxe paz
:)
Obrigada pelo cuidado das palavras e pela paciência na resposta.
Abraço Grato
Marta M
Marta M a 12 de Dezembro de 2012 às 20:50

Tinha-me passado ao lado o que se estava a passar...a vida de vez em quando surpreende-nos da mais estranha...

Por um bocado senti-me reflectido na forma como descreves a relação com o teu pai... vi-me ali... gostava de conseguir não ter que passar por uma situação como essa para resolver as coisas para melhor... eu sei, depende de mim...

Marta, de todo coração, desejo que tudo corra pelo melhor

Jorge Soares
Jorge Soares a 19 de Novembro de 2012 às 22:49

Jorge:
Partilho então essa experiência e situação de vida contigo ...
Por isso fiz um corte e tentei que,de mim em diante, a disfuncionalidade ia ser combatida.
Consegui-o, mas paguei um preço com o afastamento...
Esta situação parecia escrita nas estrelas e colocou-nos frente-a-frente..
Penso que não só eu cresci, entende ?
"Vi" o meu pai, se calhar pela primeira vez na vida, como um ser humano, também, frágil. E senti-me próxima dele, se calhar,como nunca.
Ele já vai melhor, bem melhor :)
Abraço grato pela partilha
Marta M
Marta M a 12 de Dezembro de 2012 às 20:56

Marta, o que mais desejo é que o Pai recupere físicamente como a ter novamente autonomia, mas agora ... a Marta vai estar mais próxima e atenta". Deus escreve direito por linhas tortas".
Marta, tenha Esperança e ainda terá muitas oportunidades de saber dos pormenores do dia a dia do seu pai. Vai sentir-se BEM.
Beijo e uma
miilay
miilay a 20 de Novembro de 2012 às 00:25

Sm ;Miilay, já estou a sentir-me mais leve.
E mais próxima.
Como já referi, parecia que tudo foi escrito nas estrelas e..para que a situação se retomasse.
Mistérios amiga, mas mistérios que fizeram crescer.
Grata pela visita e pelo carinho e paciência na resposta.
Obrigada
Marta M
Marta M a 12 de Dezembro de 2012 às 20:59

Minha amiga Marta... nem imagina como me sinto mal comigo mesma, já devia ter passado por aqui e deixar um sinal de apoio como sempre recebi da minha amiga, peço perdão e desejo de coração que se sarem todas as feridas, fisicas e da alma. Há coisas que realmente são surpreendentes e temos que saber perdoar e especialmente saber amar apesar de...
As melhoras para o teu pai e um grande abraço para ti.
Rosinda
Rosinda a 20 de Novembro de 2012 às 11:46

Querida Marta
Como me comoveu a tua partilha, a tua capacidade de expores perante aqueles que habitualmente te visitam, mas mais, perantes aqueles que não sabes quem são e que te visitam...
...mas foi realmente bonito o que li... o que disseste, o acaso e a vida a cruzarem-se; a vida privada muito mais complexa do que transparece perante nós próprios e os que nos vão conhecendo; os revezes que nos fazem pensar, reflectir e SENTIR, ou tactear o sentir, da forma que deve ser, creio... e pode ser sempre descoberta...
...Gosto de ti, Marta. Gostei do que li. E foi para mim, mais uma lição neste dia em que revisito estes meus amigos dos blogues, perante quem tenho estado em silêncio... e que se tornaram importantes e especiais na minha vida, mesmo que nunca pudesse imaginar que isso poderia vir a acontecer um dia.
É bonito o que contas, repito, o que partilhas, Marta.
Obrigada.
Desejo-te que possas encontrar o que procuras, seja o que for, mesmo difícil... mas, de procura em procura, de encontro em encontro, acho que realmente fazemos a vida.
Um abraço bem forte e amigo,
sempre,
Isabel
Isabel Maia Jácome a 21 de Novembro de 2012 às 16:10

Nada é mesmo por acaso. E se as desgraças servem para alguma coisa, que seja para aproximar pessoas, para cimentar relações e fortalecer laços de afecto.
Desejo sinceramente que as coisas melhores, a saúde do seu pai, e a vossa relação permaneça assim, mais sólida, mais próxima, mais afectuosa, no fundo aquilo que achamos ser o natural entre pais e filhos, mas que nós por experiência própria sabemos que não é assim tão natural e normal quanto isso.
Tudo de bom! Bjinhos grandes
raio-de-luar a 22 de Novembro de 2012 às 15:51

As coisas mudam a cada segundo da nossa vida e quando estamos mal, parece que tudo que aparece, ainda é pior. Não posso ser assim tão pessimista, resta-me a boa noticia de que está vivo. O importante agora é sobreviver a esses tão maus tratos provocados por quem não sabe antever o acidente.
O meu Pai também está no hospital em Coimbra com liquido nos pulmões mas nada que se compare.
Um bem haja aos pais deste País
Abraço
batidasfotograficas a 23 de Novembro de 2012 às 23:02

Há coisas que não se conseguem explicar, tal como esse pensamento no seu pai sem razão aparente.
O importante é que está a ficar melhor e ainda se conseguiram aproximar.
Avidadá muitas voltas e por vezes são voltas agradaveis e bonitas.
Um beijinho e desejo de rapidas melhoras
momentosdisparatados a 12 de Dezembro de 2012 às 23:24

Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
27
29
30


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
Lugares que Também visito ;)
http://optimismoemconstrucao.blogspot.com/ http://joaodelicadosj.blogspot.com/ http://theosfera.blogs.sapo.pt/
pesquisar neste blog
 
Contador de visitas ...
E neste planeta...

contador gratis
blogs SAPO