Segunda-feira, 05 de Março de 2012

Quando os meus filhos eram pequenos costumava cantar com eles. E fazíamo-lo alto e a bom som no carro, a caminho de casa.

As nossas canções preferidas eram as do álbum Brincando aos Clássicos dos Queijinhos Frescos  com a Ana Faria.

Trouxesse  o dia o que fosse, ir buscá-los ao colégio, abraçá-los e e levá-los para casa comigo, compensava tudo. Tudo.

Hoje aqueles meninos estão grandes e, mesmo que os procure com empenho e em todos os cantos da casa...Aqueles pequeninos de olhos brilhantes e atentos...Não os encontro.

Já não andam a correr pela casa.

E tenho tantas, tantas saudades deles que me dói o peito, acreditam?

A impermanência de tudo e de todos os momentos, também os alterou e junto com o meu esforço, os fez crescer e evoluir.

Pois não foi para isso que lutei tanto?

Há dias em que constato que só ficaram mais altos, outros parece que cresceram e amadureceram tanto que me enchem de orgulho...E ultrapassam-me em inúmeros campos.

Sei que não devia ser assim - é mais forte do que eu - mas a época em que os meus meninos foram pequenos e em que eu caminhava, com um de cada a lado pela mão, fazia-me sentir invencível.

E feliz - em toda a essência da palavra.

Voltar a esta época é uma tentação, voltar a cuidar deles também.

Abraçá-los e receber os seus abraços é algo de que nunca me hei de fartar.

Nesta semana em que o meu filho viajou a trabalho para os EUA e lhe perderam a mala com todos os seus haveres, mal recebo o seu telefonema aflito e muito aborrecido, pois só me apeteceu correr em seu auxílio...

Mas ele não precisa desse resgate, sei que ele há-de dar conta da situação, provavelmente de forma muito mais eficaz do que eu...

Só que, a situação e a distância foram o suficiente para desatar todas estas lembranças bonitas que tenho, como tesourinhos sagrados, dentro do meu coração.

E cá estou eu outra vez a falar do mesmo, não é?



publicado por Marta M às 18:06
Marta, que ternura, e eu compreendo-te tão bem! Quando eles são pequeninos são mais nossos, mas eles têm que continuar a Ser, e nós temos que os deixar voar, não deixando de os acompanhar, mesmo à distância.
Beijinho
miilay
miilay a 5 de Março de 2012 às 18:54

SIm amiga -eternamente mães. Mesmo que a distância o dificulte ;)
Um abraço grato pela tua visita
Marta M
Marta M a 15 de Março de 2012 às 18:21

ai que lindo marta
comoveu me ao ler
fico muito contente e orgulhosa por poder estar ao maximo com minha filha
e por mais,que seja normal a energia da minha filha,estar ao pé dela enche me de alegria,
que lindo,linda
sejam crescidos ou pequenos serão sempre nossos filhos amados e incondicionalmente cheios de amor de mãe/filhos....
espero que tudo se resolva com seu filho e a mala
quando minha filha esta nos avós,estou sempre a pensar nela,quando chega a casa,dou sempre um abraço e beijo a e quando sai e entra,quero que sempre se sinta feliz e veja um sorriso em seu rosto
adorei

beijinhos amiga

marta nao querendo ser chata,tem um email a sua espera,precisamos falar,pf,obrigada
luadoceu a 5 de Março de 2012 às 18:57

Lua:
Bonito o que escreves aqui.
A tua filha tem sorte e um dia vai lembra-se desse teu constante sorriso ;)
Vele o esforço, porque nem sempre nos apetece, não é?
Um abraço grato pela tua visita
Marta M
Marta M a 15 de Março de 2012 às 18:23

Agora fui eu que fiquei de coração apertado ... a sofrer por antecipação... porque era tão bom que eles fossem sempre os nossos meninos... os meus ainda não cresceram tanto, mas eu já tenho saudades de quando a mais velha era a miúda sorridente e sempre bem disposta... antes de ser a adolescente muito senhora do seu nariz que já é apesar dos seus 12 anos....

Boa semana Marta

Jorge
Jorge Soares a 5 de Março de 2012 às 21:31

Eu sei Jorge...Os meus filhos sempre foram muito carinhosos e bem comportados, mas depois houve essa "metamorfose" rápida, em que eles,de repente, começam a questionar o seu lugar no mundo, a sua vida, a rebelar-se para se conseguirem afastar e construir como pessoas autónomas... Ingenuamente pensam que um certa agressividade (ou ausência de sorrisos..) lhes permite maior autonomia.
Insegurança, juventude -mas que nos custa a encaixar, não é?
Saberás lidar com tudo isso, tenho a certeza.
Um abraço grato pela visita
Marta M
Marta M a 15 de Março de 2012 às 18:53

Olá Também eu tenho saudades daqueles momentos em que esperava por uma história, quando ansiava pela hora de dormir para ir às "cavalitas" do meu pai, etc etc, momentos lindos que recordo com saudade, tal como tu o fizeste Pena é que hoje em dia acho que tudo isto se perdeu, os pais tornaram.-se mais frios e os filhos por consequência também Espero que estejas bem

Beijinhos
onda_azul a 5 de Março de 2012 às 21:59

Olá
Adoro ler sobre boas práticas familiares :)
Gosto de famílias assim :)
Teve sorte meu amigo,tenho a certeza que um dia passará tamém este testemunho com sabedoria.
Um abraço grato pela visita e pelo comentário
Marta M
Marta M a 19 de Março de 2012 às 14:13

Olà Depois de uma grande ausência, aqui estou eu de novo, espero que estejas bem

Beijinhos
onda_azul a 1 de Agosto de 2012 às 21:39

Olá Marta! Li e achei como sempre um post lindo e especial. Os filhos são tudo para nós. Hoje não me alongo se não se importa. Deixo só um beijinho e um abraço com gratidão e amizade. Força para estas "leis" que aí vêem e tudo de bom. Boa semana.
Fátima Soares a 5 de Março de 2012 às 23:31

Fátima:
Os nossos filhos são a nossa debilidade, não é verdade?
Tento não ter tanta nostalgia desse tempo, mas que hei-de fazer? É mais forte do que eu.
Fui verdadeiramente feliz nessa época :)
Um abraço grato pela visita
Marta M
Marta M a 20 de Março de 2012 às 17:22

Olá Marta!
Delicioso, por verdadeiro, este seu testemunho!
Apenas acrescentarei o seguinte: Quando tiver chegado aos 100 anos, e eles perto dos 80..., olhá-los-à da mesmissima forma, ou seja os seus nénés indefesos...!
Mãe, será eternamente uma Mãe!
Um beijinho.
Marcolino
Marcolino a 6 de Março de 2012 às 03:10

Que hei da fazer meu amigo? Acho que está gravado e estabelecido na minha alma -provavelemnte já antes de eu nascer :)
Obrigada pelas boas palavras e pela atenção :)
Abraço
Marta M
Marta M a 20 de Março de 2012 às 17:24

Um verdadeiro e enternecedor coração de mãe =)

Penso sempre nisso quando me arrelio por o meu filho deixar tudo espalhado e metade da casa em pantanas. Penso nas saudades que eu vou ter de ter a casa desarrumada... desarrumada mas com vida de criança espalhada pelas divisões...

Um beijinho
golimix a 6 de Março de 2012 às 19:32

Não te vou iludir..Vais,vais ter muitas...
Bonita e complicada a vida -não é?
Um abraço grato pela tua visita e desculpa-me tardar tanto a responder...
O tempo não estica ;)

Marta M
Marta M a 21 de Março de 2012 às 22:35

Eu sei que não...
Danado de tempo que teima em não se deixar agarrar! ;)

Bj
golimix a 22 de Março de 2012 às 21:20

Como eu a entendo Marta...
É bom ver que crescem e se tornam independentes, mas para nós serão sempre os nossos meninos. Penso que me repito nas palavras; A nossa preocupação com os filhos é até à morte e quiçá até depois...
Beijinho grande amiga
Roinda
Rosinda a 7 de Março de 2012 às 18:18

Sem reforma, sem descanso...
E ninguém nos avisou ou preparou o coração para tanto, não foi?
Um abraço grato pela visita e pela compreensão pela demora nas respostas...
Não consigo fazer melhor ...;)
Marta M
Marta M a 21 de Março de 2012 às 22:37

Quando sabemos que eles estão com algum problema ou com alguma situação menos agradáveis o nosso coração fica tão pequenino.
É mesmo como diz " apetece correr até eles".
Coração de mãe é todo assim, salvo raras excepções .
Beijinho
momentosdisparatados a 8 de Março de 2012 às 17:44

Sim amiga, é.
E sim,concordo que,como diz uma amiga"Há mães e...mãezinhas"
Um abraço grato também pela demora nas respostas aos comentários.
Como já disse acima, não consigo fazer melhor!
O tempo não estica...
Marta M
Marta M a 21 de Março de 2012 às 22:39

Marta, é mais do mesmo, e que seja, é sempre com uma emoção e ternura que nos comove e envaidece, pois aqui desse lado, dentro desses corações que te leêm, passa-se exactamente o mesmo. Essas recordações, a saudade, os momentos, o aconchego, a protecção, o amor e carinho, tudo isso está sempre presente. Seja que situação for, por mínima, de resolução fácil ou não, nós sentimos tudo, a preocupação, a pressão, o desânimo, o simples facto de os ouvir, de dar atenção, de oferecer ajuda, mesmo que desnecessária, é para nós, grandioso. É estar presente na vida deles. Isso é fundamental.

Beijinhos
libel a 9 de Março de 2012 às 12:52

Sim Libel, estar presente, mesmo quando não estamos, e ser eternamente responsável...Mesmo que à distância.
Um abraço grato pela tua visita
;)
Marta M
Marta M a 22 de Março de 2012 às 18:24

Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
31


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
Lugares que Também visito ;)
http://optimismoemconstrucao.blogspot.com/ http://joaodelicadosj.blogspot.com/ http://theosfera.blogs.sapo.pt/
pesquisar neste blog
 
Contador de visitas ...
E neste planeta...

contador gratis
blogs SAPO