Sexta-feira, 11 de Novembro de 2011

(Imagem da Internet - Google)

Não se se o notam, mas eu já dei pelo espaço e pela receptividade que começa a existir para o uso de certas palavras...Pelo menos à minha volta, noto-o.

Lembro-me como há apenas alguns anos o uso de certo vocabulário (como fraternidade, fé, carinho, afecto, compaixão...) era recebido com um levantamento de sobrolho e ares de enfado e desconfiança.

Actualmente, fruto provável do tempo difícil e exigente que vivemos, muitas pessoas e empresas começam a mostrar abertura para a consideração do peso dos afectos, quer nas relações pessoais quer nas laborais.

E noto até que, se antes tais alusões podiam soar a uma certa "lamechice" para quem não conseguia separar as águas, hoje a forma como alguns se dispõem a escutar, demonstra um certo amadurecimento social que me faz sentir cada vez mais "em casa" por aí... :)

Esta semana eu que, mal grado o profissionalismo e correcção de procedimentos que me imponho, nunca abdico de  "salpicar" esse mesmo desempenho profissional de tudo aquilo que o torna mais humano e real, tive uma experiência interessante.

Foi assim que, perante o sério desagrado manifestado por alguém ao meu lado, e constatada a persistência no erro de outro, aliada à sua incapacidade de ultrapassar a situação e reconhecer o seu engano públicamente...Perante o impasse incómodo, ousei discretamente e, num impulso, disse:

 - "Porque não deixas passar e ultrapassas isto? Porque..não tens compaixão para com ele?"

Bem amigos, mal usei a palavra, o meu estômago encolheu-se....E agora? Serei tomada por lamechas? Pouco profissional? Pouco racional?

Temerosa e quase arrependida, aguardei breves segundos (que me pareceram horas) e, qual não foi o meu espanto, recebo como resposta um silêncio e um olhar de acolhimento que me pareceu até de alívio, pela minha proposta.

E assim, pelo menos naquele dia, naquele momento, o impasse se desfez, o embaraço foi colocado a um canto e... Avançámos.

O gesto da compaixão proposto não implicou qualquer sentimento de superioridade ou de pena, mas tão simplesmente de compreensão e empatia.

E pelo reconhecimento dentro de cada um de que, todos nós, em alguma altura da vida precisaremos também que outros tenham esse sentimento em relação a nós...

Semear o que queremos colher - parece-me a chave deste sentimento.

Usar a palavra é, parece-me, cada vez mais fácil, não sei é se o gesto e o coração estarão, depois, à mesma altura.

Naquele dia, juntos, conseguimos. 

Nem tudo está perdido :)



publicado por Marta M às 19:13
Adorei o teu post, conta uma história bastante bonita em que falas de bons sentimentos que achávamos perdidos. Certamente que não e foi bom teres dito aquilo, foi a palavra certa no momento certo, muito bem

Bom fim de semana
onda_azul a 11 de Novembro de 2011 às 21:37

Olá.
Sim, foi arriscado,mas correu bem.
:)
Principalmente porque encontrou receptividade e isso sim foi de valorizar.
Abraço e grata pela visita
Marta M
Marta M a 15 de Novembro de 2011 às 21:16

onda_azul a 5 de Dezembro de 2011 às 20:18

Minha amiga, espero que o coração esteja à altura das palavras, porque estas só assim fazem sentido...
Bom fim de semana (apesar da chuva e do muito trabalho)
Beijinho
Rosinda
Rosinda a 11 de Novembro de 2011 às 22:46

Sim Rosinda, nem que seja tentando ser melhor e colocando "em prática" a palavra :)
Por algum lado se começa, não é?
Abraço
Marta M
Marta M a 15 de Novembro de 2011 às 21:18

As palavras certas em certas alturas fazem milagres. Foi o caso desse dia. Muitas vezes basta colocarmo-nos no lugar do outro que errou mostrar alguma compaixão , compreensão é que há dias e dias e por vezes até erramos e nem temos a noção. Claro que há casos e caso. beijinho e um óptimo fim de semana embora me pareça que a chuva e o vento não vai dar tréguas
momentosdisparatados a 12 de Novembro de 2011 às 09:01

Marta
Nem mais
Ha palavras e actos subjacentes que estao em desuso,
mas possivelmente na hora certa, ditas de maneira afavel e sem levantar a voz, pode produzir efeito
A sociedade esta a perder valores,nao quer dizer que todos os percam tb,ha sempre alguem que nos escuta,tem la os valores bem dentro de si,mas na altura devida sabe ouvir, assim deve ter sido esse caso que relatas
Parabens,avançar e no que esta o ganho,estagnar, nao, nao e preciso obrigada
As palavras,sao faceis de se pronunciar,mas agora os actos e atitudes perante as mesmas e as vezes de deixar a desejar....
Beijinhos e bom fds Marta
Ate ja
luadoceu a 12 de Novembro de 2011 às 17:38

Somos humanos, e em todo ser humano haverá sempre uma parte boa.... é iso que nos dá alguma esperança para o futuro

Belo Post Marta

Jorge Soares
Jorge Soares a 12 de Novembro de 2011 às 17:59

Nunca desistir de defender ( e acreditar) nesta capacidade da humanidade de nos surpreender sempre.
De outra forma, quem aguentava este planeta, Jorge?
Abraço e bom fim de semana
E obrigada pela tua presença :)
Marta M
Marta M a 18 de Novembro de 2011 às 19:36

Marta, é bom saber que notas que esse vocabulário é mais usado e oxalá que se reflicta em obras, como foi o teu caso,A frase certa no momento certo.
Beijinho
miilay
miilay a 12 de Novembro de 2011 às 19:32

Sim Miilay, mas o gesto mais bonito e humano foi do colega.
Eu só dei um empurrãozinho :)
Bom fim de semana
Abraço
Marta M
Marta M a 18 de Novembro de 2011 às 19:37

Marta
Não imaginas o quanto me é gratificante ver expresso por alguém aquilo que não transmiti, mas senti. E senti tantas vezes o que aqui nos falas. É tão bom ler-te Marta... Sempre e hoje em particular. Já fiz referência la no Optimismo. Obrigada do coração! Um abraço
Teresa
descobrirafelicidade a 13 de Novembro de 2011 às 14:25

Teresa:
Obrigada amiga :)
Sinto-me sempre bem quando sinto que andas perto porque as tuas palavras são cheias de boas energias, mesmo.
Também eu entendo e gosto desta sintonia.
A maior parte das vezes parece que estamos sozinhas contra "moinhos" assustadores e, depois surgem amigas que nos lembram que também andam por aí...
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Teresa: <BR>Obrigada amiga :) <BR>Sinto-me sempre bem quando sinto que andas perto porque as tuas palavras são cheias de boas energias, mesmo. <BR>Também eu entendo e gosto desta sintonia. <BR>A maior parte das vezes parece que estamos sozinhas contra "moinhos" assustadores e, depois surgem amigas que nos lembram que também andam por aí... <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Bem-hjas</A> tu :) <BR>Abraço e obrigada ela referência <BR>Marta M
Marta M a 21 de Novembro de 2011 às 16:22

Cheguei aqui indicada pelo optimismos em construção e adorei ter vindo. Ver-me-ás mais vezes de certeza. As vezes Marta ( adoro este nome...a minha filha assim se chama) temos medo de dizer aquilo que nos vai no coração; temos medo se sermos mal interpretadas e deixamos de o fazer; quantas vezes não nos arrependemos de não o ter feito? Sou por natureza uma pessoa muito frontal, tenho dificuldade em não dizer aquilo que me vai na alma; com o tempo aprendi que nem sempre dá certo ser assim, que há pessoas a quem não podemos dizer o que pensamos, mesmo quando isso, na nossa opinião, as vai ajudar; hoje já sei a quem posso oferecer a minha palavra de apoio, o meu sorriso e a minha ajuda; aceito com facilidade as gentilezas dos outros, porque sou " um livro aberto" e quando me abro aos outros é porque estou à espera da gentileza de uma palavra sincera, de um escutar atento, de uma opinião honesta sobre o que expressei, mesmo que essa opinião seja um " não concordo"; este " não concordo, não estás certa", não devias ter feito..." são para mim actos de gentileza, pois, se desabafei, se abri o meu coração é porque necessitava de respostas, de conselhos verdadeiras para meus conflitos.
Creio também, Marta, que, apesar da falta de afectos que vemos hoje, há um esforço muito grande da parte de todos para que a gentileza seja uma palavra que não conste só no dicionário. Se não fosse esse "acreditar no ser humano", o que seria de nós.? Um beijinho, Marta, e espero que tenha uma bela semana, cheia de gentilezas e sempre com grandes oportunidades para mostrares a tua Gentileza perante os outros
Emília
comunicadoraspt@hotmail.com a 13 de Novembro de 2011 às 16:06

Olá Bom dia e bem vinda seja a esta tribo :)
Um gosto vê-la por aqui.
Como bem referia Confúcio , a "cortesia e a educação "são vitais para olear as relações e para a vigência da paz entre os homens...E muita gente pensa hoje que a cortesia e a educação são dispensáveis em nome da "pressa" que estes tempos acelerados impõem. Engano deles.
Ao contrário, acredito que são absolutamente vitais para que vivamos todos juntos num único planeta...
Obrigada pela presença e volte sempre porque a sua escrita é positiva e isso é sempre bem vindo :)
Marta M
Marta M a 21 de Novembro de 2011 às 13:35

Querida Marta
... que bom foi ter lido as tuas palavras, a forma como estavam escritas e sinto que foram sentidas...
...tenho tanta pena de estar cada vez com menos tempo para escrever e a consciência de que a necessidade, essa aumenta e cresce a cada dia...é tão bom sentir que mais e mais me vou cruzando com pessoas bonitas que acreditam e querem de verdade fazer diferenças... pessoas que, através das suas convicções e exemplos nos demonstram que é possível!...
É possivel sim e tal como dizes também já sinto diferença... e essa é a minha grande fé, a minha esperança e... acho que a minha secreta força.
Muitas saudades, de vir aqui e de ter este privilégio.
Beijinho reconhecido
Sempre,
Isabel
Isabel Maia Jácome a 16 de Novembro de 2011 às 22:25

Isabel:
Desculpa-me alguma demora na resposta, mas gosto de responder com calma e gosto de saborear a escrita dos amigos ..
Gosto muito da tua visita e da imensa sensatez e sensibilidade que resplandece da tua escrita....
Sei que para ti, estas palavras não são novidade e que estão no teu vocabulário e no teu coração.
Abraço grato pela tua visita.
Marta M
Marta M a 23 de Novembro de 2011 às 17:48

Assim como um gesto... uma palavra também pode fazer a diferença.
Sim! As pessoas estão mais alertas, mais atentas, mais tolerantes.
Só assim encontraremos apoio para os momentos de insegurança que nos acompanham (ou perseguem?!).
Quando se pede algo- UM NÃO está sempre garantido.
Portanto o teu pedido, tinha as duas possibilidades ser aceite - ser ignorado.
Bom que optaram pela tolerância ou "compaixão".
Abraço
DyDa/Flordeliz a 19 de Novembro de 2011 às 00:23

Sim Flor
O não já temos à partida, o "sim" também é uma possibilidade, tens razão.
Devíamos tentar mais vezes, não é? Ainda por cima se o fazemos por boas razões ;)
Abraço grato pela visita
Marta M
Marta M a 23 de Novembro de 2011 às 17:50

Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
24
25
26

27
28
29
30


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
Lugares que Também visito ;)
http://optimismoemconstrucao.blogspot.com/ http://joaodelicadosj.blogspot.com/ http://theosfera.blogs.sapo.pt/
pesquisar neste blog
 
Contador de visitas ...
E neste planeta...

contador gratis
blogs SAPO