Segunda-feira, 11 de Abril de 2011

Umas das características dos tempos que vivemos é a desilusão.

O  desencanto instalado e, em consequência, a ausência de perspectivas de futuro.

E isso é absolutamente assustador e coloca um país K.O (knock out)...E desmobiliza gerações inteiras de portugueses, a começar pelos mais jovens.

O anúncio da entrada do Dr. Fernando Nobre nas listas do PSD para as próximas legislativas surpreendeu-nos ontem ao jantar e ficámos todos sem saber o que pensar.

O Dr. Fernando Nobre é uma espécie de reserva moral desta casa, um símbolo de cidadania responsável e de indiscutível entrega ao outro. Não é possível negar todo o serviço prestado por este médico em função dos mais desfavorecidos em claro prejuízo e sacrifício da sua vida pessoal e profissional.

Foi a partir dessa certeza que apoiámos a sua candidatura e, provavelmente, até votámos por ele em grande número cá em casa...

E fizémo-lo porque admiramos a sua coragem, a sua independência e sua inegável estatura moral.

Ontem, eu pelo menos, que gosto de pensar e medir as coisas antes de emitir sentenças, fiquei a pensar...

Procuro ter opinião, mas peso muito bem todos os lados e, mesmo que no fim penda para um deles, gosto de escutar os dois lados da questão. E costumo escutar com muita atenção.

Se o convite do PSD é interesseiro ou é uma forma de abertura do partido à sociedade civil ou se abre uma nova linha política...Pois...Não sei.

Nem me interessa para chegar ao cerne desta questão: O Dr. Nobre desiluidiu-nos?

Sim, se o seu interesse converge com o que se supõe ser a intenção do PSD - ganhar votos e garantir a maioria na Assembleia da República. Sim, se o que o move é uma ambição de poder político real e o alcançar um lugar na casa da nossa democracia.

Por outro lado, o Dr. Fernando Nobre (que  neste momento esta no Sirilanka ao serviço da AMI), tem todo o direito de alinhar com um partido e não se torna por isso menos digno, ou fica nesse gesto, corrompido.

Os partidos políticos são absolutamente necessários à nossa democracia e ninguém se iluda que funcionaríamos sem eles - a sustentar o governo e a fazer uma oposição responsável e de contrapeso ao poder.

Se queremos mudar o país há de ser a partir dos mecanismos previstos na nossa Constituição e descartar os partidos e colocar o poder nas ruas nunca foi solução de futuro para país nenhum. Devem existir estruturas organizadas e coerentes com uma ideologia conhecida e transparente.

Se os partidos disponíveis já não servem o interesse da nação, revogam-se, desapoiam-se e eles se extinguem de forma natural. E fundam-se outros.

Ou reformam-se os existentes.

E as reformas só são possíveis pelo nossa exigência expressa no nosso voto ou partir de dentro deles.

Pode ser esta a ideia? Pode.

Eu, desalinhada por natureza, não optaria por essa via, mas entendo-a como válida por quem entende segui-la.

Pode o Dr. Fernando Nobre, a partir do exercício  como segunda figura do Estado, ter uma magistratura de influência e finalmente chegar a ter algum espaço de manobra para dar um contributo válido ao seu país, já que não o conseguiu por via das últimas eleições?

Pode. Mas não será fácil.

Pessoalmente, preferiria tê-lo visto fundar uma nova força política ou partido.

Mas, sinceramente, espero vir ser surpreendida pela positiva...

 



publicado por Marta M às 20:38
Querida Marta,
Somos conterraneos, eu e Fernando Nobre. Ele bem mais novo que eu. Nasci no inicio da década de 40 e ele na de 50.
As suas atitudes, ao longo da sua permanencia neste Planeta Azul, retratam bem, o espelho da sua psique.
Abraço
Marcolino
Marcolino a 11 de Abril de 2011 às 21:39

Marcolino:
Não entendo bem o seu posicionamento em relação à questão.
Admiro há muito tempo o dr . Fernando Nobre e ainda estou a digerir esta adesão ao PSD.
Ou ao acesso que o PSD lhe dá à Assembleia da república.
Aguardo mais esclarecimentos e a entrevista que dará na 2ºf para me pronunciar em definitivo.
Abraço e obrigada pela visita :)
Marta M
Marta M a 16 de Abril de 2011 às 23:18

Marta:
O Fernando foi sempre ávido pelo poder, mentiroso compulsivo e, para completar este triste cenário, um vira-casacas oportunista...!
Ele que se dedique a Portugal, faça como muitos médicos portuguêses estão a fazer, dedique-se ao seu própro povo dando consultas grátis!
O que ele tem feito lá por fora é mero impor-se oportunisticamente!
Ele que tenha juizo, deixe esta fase triste da sua vida, para se dedicar à Medicina, já que há tanta gente sem possibilidade de ser convenientemente assistida, por estar em locais longinquos.
Abraço
Marcolino
Marcolino a 17 de Abril de 2011 às 00:03

Olá Marta! Fiquei triste porque me desiludiu... Acho mal as pessoas não serem como ele próprio se afirma coerente. Mais valia como diz ele ter criado uma outra ideologia partidária que defendesse, mas que sei eu, por acaso entristeceu-me, assim dá a impressão que é um pouco como todos no fim. Um beijinho e boa semana.
omeueudepapel a 11 de Abril de 2011 às 22:09

Fátima:
Ser "que é um pouco como todos no fim" é algo que, a confirmar-se, vai tornar difícil continuar a acreditar em outros depois...
Como se tirasse futuro às nossas convicções, entende?
Aguardo a sua entrevista de amanhã...Para me pronunciar em definitivo.
Obrigada pela visita :)
Abraço
Marta M
Marta M a 17 de Abril de 2011 às 18:00

Ora eu não saberia ordenar tão bem os pensamentos...
"Pessoalmente, preferiria tê-lo visto fundar uma nova força política ou partido." - Estamos em sintonia Marta.
São muitas as pessoas que se sentem ludibriadas e por esse motivo invadiram com agressividade os comentários na página do facebook obrigando-o a fechar o espaço.

Hoje, perguntamos: afinal quem é Fernando Nobre? O que se deu a conhecer, ou o que vai pactuar com o partido que apoiou Cavaco Silva e que era seu adversário e concorrente?
Quem é que se está a servir de quem?
Dúvidas, muitas dúvidas!?!?....



DyDa/Flordeliz a 11 de Abril de 2011 às 22:12

Olá Flor
Sim, e agarrando as tuas palavras, de facto inúmeras dúvidas...
E não gostaria de condená-lo definitivamente antes de escutar a entrevista de amanhã. Porque como já referi por aqui, retira-nos parte da esperança que ainda nos restava sobre a existência de homens com coluna dorsal direita -sempre.
Abraço e obrigada por te fazeres presente :)
Marta M
Marta M a 17 de Abril de 2011 às 19:42

Perdoa-me amiga mas eu nem estou assim tão desiludida.
Quando da anterior campanha eleitoral eu apercebi-me que um dos seus grandes apoiantes, o Dr Mário Soares, pretendia apenas que Manuel Alegre não fosse eleito Presidente da Republica e, se o Dr Fernando Nobre alinhou nessa campanha pensei eu, tal como muita boa gente, que seria para formar um outro partido, com base na Cidadania.
Enganei-me. Como 2ª figura do País só tem realmente poder de influência se algo acontecer ao actual Presidente.Na Assembleia da Republica não é uma figura de influência, até mesmo pela sua inexperiência política. Se, pelo contrário, fosse como membro do governo em que pudesse usar os seus conhecimentos como médico e fundador da AMI aí sim, acredito que poderia ajudar e muito.
Temo que esteja a ser aproveitado.
Porque recuso-me a acreditar que seja ele a aproveitar-se.
Sei, aqui tenho a certeza, de que a maioria dos votos que recebeu não vão com ele. E tenho pena da desilusão que está a causar ao povo.
Um abraço
rodrigando a 11 de Abril de 2011 às 22:53

Olá
Estive a ver a entrevista do Dr. Fernando Nobre e ainda no meio da minha reflexão sobre ela venho comentar e como era a tua vez, pois começo por aqui.
Penso que, à parte a minha vontade de o continuar a ver numa "redoma" como reserva moral, penso que foi coerente na linha de justificações que apresentou.
Sou sensível à coerência e à liberdade de cada um de poder inflectir e mudar o rumo...
Confrontado sobre a inconstância do seu discurso de há duas semanas e este anúncio de candidatura pelo PSD, respondeu que a situação do país se alterou nas últimas 3 semanas e, que, perante a crise, não podia ficar como "treinador de bancada" e quer ajudar o país onde puder. A presidência da Assembleia a seu ver, dá-lhe algum espaço de manobra e preserva-lhe a autonomia...
Sim eu sei e suponho que ele também saiba o quanto é limitada a sua magistratura de influência..Mas ele responde que os seus actos falarão por ele.
Fiquei a pensar nestes argumentos, mas continuo a preferir que se mantivesse totalmente autónomo e não se alinhasse com nenhum partido. Continuasse uma voz independente e, por isso, de maior confiança.
Veremos amiga.
Abraço
Marta M
Marta M a 17 de Abril de 2011 às 21:46

Marta... por norma estou de acordo contigo.. esta vez não.

Não vejo, nem nunca vi Fernando Nobre como uma reserva moral, a AMI é uma instituição válida e existirá graças a ele, concordo, mas isso não faz dele nem uma reserva moral nem um bom politico.

Eu sei que sou suspeito, fui vitima de tentativa descarada de plágio por parte da candidatura dele, mas mesmo antes disso eu já tinha visto no senhor um demagogo.. que é. Alguém que começou por ser monárquico, que foi candidato pelo Bloco de esquerda, que foi apoiante de Mário Soares e do PS e que depois de tudo isso se afirma como sendo contra os partidos e os políticos, para depois chegar a este ponto, só pode ser demagogo..

Quanto a mim, o que move este senhor é a sede do poder, ele quer a todo custo chegar ao poder e para isso muda de ideias as vezes que for necessário... ainda lhe falta o CDS e o PCP.. mas ele ainda é novo.

O primeiro post que escrevi sobre ele tinha como titulo, "Tudo na vida é uma questão de perspectiva"... assim de repente... pareço um visionário. Foi aqui: http://oqueeojantar.blogs.sapo.pt/179736.html

Jorge Soares
Jorge Soares a 11 de Abril de 2011 às 23:46

Jorge:
Em primeiro lugar, ri-me com o teu comentário, particularmente quando referes que ele "ainda é novo" e o arco partidário vasto :)
Mas o caso é sério, tens razão.
Estive a ler com vagar as referências que me enviaste e percebo o teu ponto de vista, embora não o possa subscrever totalmente.
Sei que entendes, porque reconheço também essa tua capacidade de perspectivar outras visões, mesmo a partir da tua escrita assertiva e peremptória. Está lá compreensão também.
A tentativa de plágio é condenável, mas espero que seja da responsabilidade exclusiva de apoiantes, não do Fernando Nobre de forma pessoal.
O estranho é que tenho vindo a concluir que foi exactamente essa sua capacidade de sonhar, de entrega a uma missão de mudança do mundo, oque fragilizou ao entrar num campo em que sonhos e boas intenções são cilindrados e utilizados, demasiadas vezes, contra os próprios.
Se pecou aqui, foi por fragilidade e, até, diria, alguma vaidade pessoal não sentido em que se vê como um "enviado".
A política não é o seu campo, mas reconheço-lhe uma enorme boa vontade.
Difícil chegar a uma conclusão para mim.
Apenas uma certeza. O meu voto perdeu, não te a estrutura, nem consistência de um político...Mas não é dos não políticos que andamos à procura?
Dúvidas...
Abraço
Marta M
Marta M a 18 de Abril de 2011 às 18:51

Marta, não retiro nem quero retirar mérito ao seu papel social, de resto já disse mais que uma vez que a sua obra na AMI é de admirar, mas, não confundo a obra com a pessoa.

Quanto à tua questão final, se pensarmos bem Marta, não, não é de não políticos que andamos à procura, o que queremos para governar o país é políticos sérios.

A politica é uma escola, é lá que se aprende a liderar, é lá que se aprende a negociar, é lá que se aprendem muitas coisas que são essenciais para alguém que tenha aspiração a cargos de importância..

Não sei se viste, no Sábado entrevistaram o presidente da Jerónimo Martins, um dos homens mais ricos do país, responsável pela gestão de muitas empresas a nível nacional e internacional... e pelas vidas de muita gente que trabalha para ele. O que se ouviu ali foi de bradar aos céus, ele terá muita experiência a lidar com empresários, mas de politico tem zero, bastava uma entrevistadora com um bocadinho de liberdade e/ou falta de vergonha, para todos os seus argumentos terem ido por terra em poucos segundos... aquele senhor nunca na vida seria um politico decente... assim como o Fernando Nobre nunca o será...e para mim uma pessoa que diz e desdiz, não merece a minha confiança.

Mas é claro que entendo a tua opinião e a de muita gente que apesar de tudo olha para o lado humano.

Jorge Soares

Jorge Soares a 18 de Abril de 2011 às 21:57

Olá Marta
Entendo o teu desânimo e talvez desilusão sobre uma pessoa em quem depositastes tantas expectativas, tu e muitos.
A politica e os políticos estão sempre a surpreender-nos e muitas vezes da pior maneira.
Sempre tive uma grande admiração pelo trabalho que tem desenvolvido na AMI, daí que me surpreendeu bastante desde o início a sua entrada na política.
Inicialmente pensei que iria fazer a diferença e fazer com que Portugal tomasse novo rumo, mas a pouco e pouco fui ficando cada vez mais desiludida, e agora deu-se o golpe fatal.
Normalmente os presidentes de Assembleia da República, são políticos que já fizeram carreira, é um cargo que exige muito estudo e preparação. Depois destas mudanças todas se nos dissessem que poderia ser ministro da saúde, dos negócios estrangeiros, dos assuntos sociais, vá lá que não vá. Segundo me disseram um presidente de assembleia é eleito por voto secreto, como é possivel ser ele já candidato?
Há aqui muita coisa que não está a bater certo e continuo a afirmar com toda a convicção, Fernando Nobre, não tem perfil de político, gostaria de continuar a vê-lo como grande filantropo, aqui e lá fora.
Desculpa este palavreado todo, muito havia a dizer e seria uma interessante discussão se estivéssemos face to face.

Beijos
Manu
Existe um Olhar a 12 de Abril de 2011 às 22:20

Interessante e sem fim à vista, porque esta novela promete e eu não consigo tomar a decisão de condenação definitiva...
Ontem ao escutá-lo dizer que muitos preferiam que eles se mantivesse numa redoma aonde o colocámos como reserva moral, mas que ele quer servir a pátria como fosse.. Pois, fiquei a pensar se o que o perdeu foi essa mesma forma sonhadora que o faz acreditar que a presidência da Assembleia da República possa ser um espaço de manobra e influência que não é...De facto.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Interessante e sem fim à vista, porque esta novela promete e eu não consigo tomar a decisão de condenação definitiva... <BR>Ontem ao escutá-lo dizer que muitos preferiam que eles se mantivesse numa redoma aonde o colocámos como reserva moral, mas que ele quer servir a pátria como fosse.. Pois, fiquei a pensar se o que o perdeu foi essa mesma forma sonhadora que o faz acreditar que a presidência da Assembleia da República possa ser um espaço de manobra e influência que não é...De facto. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Manu</A> , Manu , já sobram tão poucos, custa-me prescindir de mais um... <BR>Abraço preocupado ;) <BR>Marta M
Marta M a 18 de Abril de 2011 às 19:17

É escusado, acho que poucos sabemos o que pensar.
Eu estou a pensar que realmente o que sempre pensei está certo e por isso não gosto muito de falar do assunto; ´
POLÍTICA = MENTIRAS E POER
É no que acabam todos, mais coisa menos coisa...
Beijinhos Marta
Rosinda
Rosinda a 12 de Abril de 2011 às 23:07

Peço desculpa onde escrevi POER, queria escrever PODER...

Querida Rosinda.
Desejaria nunca ler estas palavras sobre aqueles que têm a responsabilidade de nos governar...Mas como contrariar-te com tantos maus exemplos?
Por isso procuro atenuantes, porque são necessários à saúde da nossa democracia. Se todos os políticos forem assim rotulados, quem de bem quererá entrar para a política?
Ficaremos entregues só aos carreiristas e oportunistas. Isso sim, será o fim da linha.
Trsite, amiga, tem razão.
:(
Abraço grande
Marta M
Marta M a 18 de Abril de 2011 às 19:21

Bom dia Marta, creio que o Dr. Nobre foi confrontado com a tentação dos partidos e sucumbiu ás teias do poder. Paciência, mais vale agora que mais tarde o verem assim "vendido".

Se tivessemos tido a oportunidade politica que o Dr. Fernando em ser candidato válido e independente à Presidência da Nação, iriamos ser certamente tentados pelos partidos, numa forma lógica de anularem possiveis adversários á sua hegemonia e ascendente sobre o "povo que lavas no rio".

Não tenho dúvidas, acontecer a qualquer um de nós! Dificilmente um de nós teria forças para resistir a tal "ataque" nas vertentes da vaidade, poder, influência e dinheiro. Que pena...

Bom tema, boa discussão. Beijinho

Paulo a 14 de Abril de 2011 às 11:28

Paulo:
Bom ver-te por aqui ;)
Agora só posso subscrever a "vaidade" e o excessivo romantismo e espírito de missão que o parecem caracterizar...E lhe toldam o discernimento que esta situação pedia...
Se fosse interesseiro tinha um consultório onde cobraria 90 Euros por consulta e 3x mais por uma cirurgia simples e com muito menos dores de cabeça, acredita-me.
Paulo, gostava de não ter que falar desta situação e que ele continuasse como até aqui, mas entendo algumas das suas razões.
Mas não consigo ficar calada... :)
Entendo. Não subscrevo.
Abraço e obrigada pela visita
Marta M
Marta M a 18 de Abril de 2011 às 19:34

Olá Marta
... sinceramente também fiquei pensativa. Pensativa demais, porque confundida. Desiludida também, por sentir que afinal, o poder atrai, como a luz da chama, as borboletas, que assim atraidas queimam as asas com que voavam e com que as viamos voar.
Não gosto de julgar, nem me sinto nesse direito. Temo ser injusta... mas preferia ter sentido na pessoa de Fernando Nobre, alguém capaz de manter posições e asua postura de "independente".
Abraço amigo
Isabel
Isabel Maia Jácome a 15 de Abril de 2011 às 23:53

Também eu Isabel, também eu.
Mas que a digestão está ser difícil e não julgar com severidade menos ainda, lá isso..
Obrigada pela tua visita :)
Abraço e Boa Páscoa
Marta M
Marta M a 18 de Abril de 2011 às 21:37

Também eu fiquei desiludida, pois na ultimas eleições era o candidato que mais confiança me inspirava.
Cada vez mais acredito que isto da politica é uma palhaçada.
Saltam de um lado para o outro em troca de dinheiro, visibilidade, fama...Beijinho e um óptimo fim de semana
geriatriaaminhavida a 16 de Abril de 2011 às 00:14

Amiga:
Espero que não seja tão mau como pintas...Na verdade, interesseiro não será, se não ficava no seu consultório ou clínica a ganhar fortunas..
Ingénuo, vaidoso, isso talvez.
Aguardemos melhores notícias :)
Abraço e Boa Páscoa!
Marta M
Marta M a 18 de Abril de 2011 às 21:43

Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
19
20
21
23

24
25
26
27
29
30


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
Lugares que Também visito ;)
http://optimismoemconstrucao.blogspot.com/ http://joaodelicadosj.blogspot.com/ http://theosfera.blogs.sapo.pt/
pesquisar neste blog
 
Contador de visitas ...
E neste planeta...

contador gratis
blogs SAPO