Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011

Crise, crise, crise...

Pois não se fala de outra coisa e quase todos, com pouquíssimas excepções, a sentimos, não é?

Mas amigos, já repararam como as coisas importantes são tão baratas?

Eu tenho cortado por onde posso e feito os ajustes criativos que me ocorrem de forma a contornar a situação...E tentando manter o essencial da nossa qualidade de vida, cortando no acessório que,  verdade seja dita, nem nos fazia assim tanta falta como outras coisas..

As receitas culinárias tornam-se mais inventivas e tenho visto a arca frigorífica ir-se esvaziando de conteúdos e géneros que antes andavam por lá esquecidos e desprezados durante meses. Agora não, tudo pode e deve ser aproveitado.

Engraçado tem sido também o constatar como os menus se têm tornado mais saudáveis e o supérfluo e as gulodices tem sido diminuídas com ganhos para todos.

Embora seja verdade que convencer os meus filhos não tem sido tarefa fácil no que concerne a chocolates, doces ou snacks...Mas lá vamos fazendo caminho nessa área ;)

Até roupas e livros têm sofrido uma reciclagem e uma nova investida, o que me permitiu reler apontamentos e anotações feitos nos meus livros há anos, e perceber nesse exercício o quanto já caminhei desde que os fiz...

Tudo isto o devo, estranhamente, à crise.

Hoje, procurando vídeos no fundo de "armário" do meu computador para preparar uma aula, encontrei este vídeo da Greenpeace.org e percebi que nestes tempos de crise, esta mensagem, apesar de ter mais de 3 anos, pois...

Faz cada vez mais sentido.

E ajuda a ultrapassar este tempo que, gostemos ou não, temos que integrar nas nossas vidas.

Engraçado como a crise e a necessidade de racionalizar com rigor, também pode levar a boas práticas...

E a levar-nos a distinguir honestamente entre o que nos apetece e o que realmente precisamos.

;)



publicado por Marta M às 18:48
O importante é até gratuíto, nós é que andamos sempre a complicar tudo!
beijinhos
Paulo César
Paulo César a 25 de Fevereiro de 2011 às 14:39

Pois meu querido amigo:
Mas com ot empo (e a circunstãncias) vamos ficando menos rígidos, não é?
Abraço enorme
Marta M
Nota.responde ao mail!!
Marta M a 3 de Março de 2011 às 12:16

marta
boa tarde
a crise....esta a afectarnos a todos
sera acessivel contornar? com força de vontade,mas passar privaçoes tb nao, isso nao ajuda e so torna pior nossa saude,mas de facto temos de pensar bem no q e importante p nos
eu ja ando a fazer ainda mais contas a vida, o verao vai ser mto complicado
bjinhos e bom fds
luadoceu a 26 de Fevereiro de 2011 às 10:05

Olá Lua:
Sim, os tempos não estão fáceis e todos nós andamos a rever estratégias de gestão, não é?
Com filhos pequenos a situação é ainda mais exigente...
Mas nós mães, damos sempre conta do recado, não é?
Abraço e obrigada pela visita :)
Marta M
Marta M a 3 de Março de 2011 às 12:18

Aquela frase "As dificuldades aguçam o engenho", nunca fez tanto sentido como agora e curiosamente damos por nós a descobrir coisas adormecidas que nos deixam com um brilhozinho nos olhos e satisfação porque a nossa capacidade de dar a volta por cima está mais apurada.
Aqui também se procura banir o que é supérfluo e rentabilizar o que se tem...digamos que é o lado bom da crise.
Só não poupe abraços e carinho para a minha amiga Marta
Bom fim de semana
Manu
Existe um Olhar a 26 de Fevereiro de 2011 às 18:31

Manu :
Eu é que não poupo agradecimentos pela tua amizade que, surgindo neste mundo digital e ficcionado da blogosfera , tem sido uma ancora real e que muito me tem ajudado a perspectivar a minha vida.
Nem imaginas...
Fortalecidos como referes, havemos de contornar esta crise e não será a primeira, nem infelizmente, a ultima vez ;)
Haja engenho!
Abraço grande
Marta M
Marta M a 3 de Março de 2011 às 12:27

"Nada do que tem valor pode ser comprado; tudo o que é autenticamente precioso só pode ser arbitrariamente dado e gratuitamente recebido."

É claro que a nossa sobrevivência não depende unicamente daquilo que tem realmente valor, mas que a sociedade capitalista tem relegado para segundo plano aquilo que importa verdadeiramente, tem. Esta crise é a grande oportunidade para repensarmos todo um modelo, para nos "repensarmos". E esta oportunidade tem um valor inestimável. Obrigada, amiga por este vídeo e texto que nos ajudam a pensar num novo caminho. Um abraço e uma boa semana para ti
Teresa
descobrirafelicidade a 27 de Fevereiro de 2011 às 14:18

Teresa.
É assim que a procure ver. Como uma oportunidade de desvalorizar o "ter", assumindo a valorização do "ser".
Será que esta geração, tão mimada por nós pais que a superprotegemos em excesso, estava então guardada para estas dificuldades e serão eles a fazer a mudança?
Interessante os caminhos que a história da humanidade toma e aonde nos levam os nossos erros colectivos...
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Teresa. <BR>É assim que a procure ver. Como uma oportunidade de desvalorizar o "ter", assumindo a valorização do "ser". <BR>Será que esta geração, tão mimada por nós pais que a superprotegemos em excesso, estava então guardada para estas dificuldades e serão eles a fazer a mudança? <BR>Interessante os caminhos que a história da humanidade toma e aonde nos levam os nossos erros colectivos... <BR class=incorrect name="incorrect" <a>E.Kant</A> falava nessa evolução, nessa superação como povo, como colectivo. <BR>Tenho pensado sobre isso repetidamente amiga... <BR>Serão estes tempos "dores de parto" como li? <BR>Abraço e obrigada pela visita :) <BR>Marta M
Marta M a 3 de Março de 2011 às 21:53

Olá, Marta!
Afinal o que será importante para as nossas vidas?
O mais importante de tudo é deixarmos de sermos influenciáveis de tudo aquilo que nos rodeia, e passarmos a viver com o mínimo nacional, agora situado nos 475 Euros.
Apartamento ou quarto. Electruicidade, água e gaz. Alimentação confeccionada em casa. Roupas das mais baratas compradas nos saldos do Continente. Sapatos idem aspas. Passe social em vez da maldita esponja que é o automóvel «prestação, combustivel, seguro obrigatório, sêlo, inspecções, oficina. Abolir o tabaco, Abolir os cafés, abolir os vinhos, abolir os uisques, abolir a frequencia nos cafés, abolir idas ao cinema e aos teatros, abolir jornais e revistas, abolir a compra de livros, mas frequentar bliotecas públicas. Abolir os passeios de fim-de-semana. Abolir férias fora de casa. Abolir os cartões de crédito. Optar pela frugalidade perfeita, e sem qualquer esforço, ou seja, ser inteligentemente frugal.
Aprender a comprar nas grandes superficies utilizando os catões onde se vão acumulando os descontos que darão um jeitão no fim do ano, ou nalgum mes de aperto...
Há quem ache isto uma autentica despersonalização...?
A estes direi apenas: Então são uns ricos consumistas, porque até os ricos de verdade também sabem, muitissimo bem, onde cortar no supérfluo, para que não existam sobejos caros.
É tudo uma questão de predisposição inteligente!
O importante é querer saber optar por viver barato...!
Abraço
Marcolino
Marcolino a 27 de Fevereiro de 2011 às 22:26

Marcolino:
Revejo-me na listagem que refere.
E embora sempre tenha sido controlada nos meus gastos e ensinado os meus a o serem também, foi preciso rever estratégias e ir mais fundo em alguns casos.
É um trabalho que faz crescer, tem razão.
Abraçoe a obrigada pelo seu comentário :)
Marta M
Marta M a 3 de Março de 2011 às 21:58

Olá Marta.
As melhores coisas da vida são de facto grátis. É o sol que nos aquece e o ar que respiramos. São as cores magníficas do céu, do mar, da relva e da terra. Coisas que tomamos como garantidas, mas que um dia podem escassear e só aí vamos dar valor ao que é essencial...
Bjns
cuidandodemim a 28 de Fevereiro de 2011 às 13:10

O essencial e o que nos faz verdadeira e duradouramente felizes é mesmo imensamente barato.
Dá é algum trabalho, lá isso :)
Abraço e obrigada pela visita
:)
Marta M
Marta M a 3 de Março de 2011 às 22:00

Efectivamente, vivemos mergulhados numa sociedade consumista que nos vai "anestesiando" e submergindo na valorização do supérfluo. Esta crise, como muito bem diz, veio-nos reafirmar a necessidade de reajustarmos prioridades e valorizarmos o essencial e o que realmente precisamos.
Uma boa semana.
sweet-moments a 1 de Março de 2011 às 00:53

Sim e desde pequenos.
As crianças começam cedo a ser bombardeadas no sentido em que se tornem consumidores passivos e que entrem naquele circulo vicioso que nunca os satisfará ..
Neste momento seremos obrigados enquanto colectivo a repensar esta forma de vida.
Nem tudo é então negativo nesta crise, não é?
Obrigada pelo comentário e pela visita :)
Abraço e seja bem vinda a esta tribo .
Marta M
Marta M a 3 de Março de 2011 às 22:03

Gostei francamente do filme que não conhecia...
... e gostei das palavras que apelam à reflexão mais do que da situação de crise em si, aquilo que há muito deviamos ter como hábito de vida.
Consumir é necessário. Mas é sobretudo necessário reflectir sobre esse consumo, a maior parte das vezes desnecessário ou superfluo.
Podemos fazer tanto memso com menos!
Obrigada Marta
Beijinho
Isabel
Isabel Maia Jácome a 1 de Março de 2011 às 19:56

Isabel:
Falar da crise e acrescentar argumentos ao diagnóstico já batido, pareceu-me inútil.
Resolvi fazer o possível: Usar o tombo para ganhar impulso e dar um salto maior, mudar e erradicar hábitos perniciosos...
Veremos se saímos fortalecidos deste processo :)
Aposto nisso
Abraço e obrigada pela visita
Marta M
Marta M a 4 de Março de 2011 às 11:36

Olá Marta!
Eu já havia passado por aqui, mas como o meu computador está sem som (parece que as colunas avariaram) estava a ver se arranjava, pois não ouvi o filme que colocou. Gosto de ver tudo antes de comentar! Mas como não é possível, sempre vou dizer que é muito dificil governar o pouco que tenho, por isso já há muito que cortei em muitas coisas. A crise para mim começou já há bastante tempo. Não sou exigente com marcas de vestuário e na alimentação tão pouco sou esquesita. A unica coisa de que sinto mesmo falta é do meu perfume...lol deixei de usar era muito caro! Agora nem nisso gasto pois não uso nenhum!
Um beijinho Marta
Rosinda
Rosinda a 2 de Março de 2011 às 17:08

Rosinda:
Também eu há alguns anos que procuro contornar uma situação financeiro algo complicada.
Apesar de ser professora há mais de 12 anos (fui secretária de direcção antes) ainda sou contratada pelo Ministério da Educação, logo, trabalhadora precária, com tudo o que isso acarreta em redução salarial e precariedade .
Mas também nunca me assustou demasiado essa situação e sempre, com a juda de Deus, fui vivendo com algum conforto e qualidade de vida.
È uma questão de prioridades e escolhas acertadas.
E de correcta educação, no caso dos meus filhos.
Melhores dias virão, de certeza e, haja saúde, não é?
Abraço grande
Marta M
Marta M a 4 de Março de 2011 às 11:43

É verdade Marta, precisamos de tão pouco para viver.
O problema é que nos habituamos ao "bem bom" e depois custa um bocadito deixar...
É tudo uma questão de habito.
Também eu cortei em muita coisa. Mas confesso que fico um bocado triste."Bolas" tratabalhamos, trabalhamos e parece que nunca chega para as despesas e para aquelas coisitas que não precisamos.
"Raios" partam a crise!!
Beijinhos
geriatriaaminhavida a 2 de Março de 2011 às 18:34

Olá Amiga:
Mesmo pouco, porque o essencial é mesmo a saúde e entenderás isso melhor do que nós ao confrontar -te todos os dias com tantas limitações físicas dos teus velhinhos...
E aí o essencial fica bem claro, não é?
Claro que a contenção de custo também nos vai tirando mimos que, se calhar, nos sabiam bem, não é?
Que se pode fazer? Adaptarmo-nos para já...
;)
Abraço grande
Marta M
Marta M a 4 de Março de 2011 às 22:46

Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
18
19

20
21
22
24
25
26

27
28


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
Lugares que Também visito ;)
http://optimismoemconstrucao.blogspot.com/ http://joaodelicadosj.blogspot.com/ http://theosfera.blogs.sapo.pt/
pesquisar neste blog
 
Contador de visitas ...
E neste planeta...

contador gratis
blogs SAPO