Quarta-feira, 26 de Janeiro de 2011

Entrem e sentem-se por 5 minutos amigos...

Façam uma pausa, deixem lá fora tudo o que o dia trouxe e está sobre os nossos ombros e...Aproveitem.

Permitam-se desfrutar e embalar por este poema musicado e pela perfeição desta técnica que nos faz acreditar que afinal a "perfeição", às vezes, também se atinge no real.

Mostrando ser possível aspirar a fazer melhor e a ir mais longe, mesmo quando se reinterpreta uma peça mil vezes dançada e coreografada...

Um luxo para os sentidos este presente que recebi via mail de um amigo recente.

Um luxo no meio de uma semana em que ocorreram acontecimentos tristes na escola, em que alunos agrediram  e  faltaram ao respeito a vários elementos da comunidade educativa de variadas maneiras e em que o nosso trabalho diário se confrontou com a sua face mais feia...

E em que o nosso trabalho parece menos compensador, e mais difícil e menos inspirado, e foi preciso reciclar a boa vontade com vontade férrea...

Foi um oásis para mim e um ponto de onde consegui retornar com mais facilidade e força ao concreto, por isso o partilho aqui, mesmo que não seja propriamente uma novidade.

 

Desfrutem meus amigos :)

 

 

Nota importante e vital: Hoje é o aniversário da minha filha querida.

24 anos  de beleza e esforço por crescer a direito, num mundo que insiste em nos vergar e nos colocar à prova..

Força filha - ninguém disse que ia ser fácil, mas no fim, vale a pena! :)

Parabéns do coração!

Esta dança mágica é, em primeiro lugar, para ti.



publicado por Marta M às 09:20
Sábado, 22 de Janeiro de 2011

 

Nem mais. E é já para amanhã.

E a começar pelo nosso quintal...

Fazer parte da mudança, dar o primeiro passo, escolher, exigir...

Os argumentos podem ser muitos e variados, mas o importante é que o façamos porque é nossa  obrigação fazê-lo e porque é importante para o país.

Porque temos que marcar presença, lembrar que estamos aqui e que estamos atentos...Apesar de tudo.

Porque pode ser que um dia, se abra o espaço que faça surgir novos políticos, também no nosso país, como este que afirma, no meio de uma homenagem fúnebre a uma criança morta num tiroteio levado a cabo por um extremista lunático, que "Acredito que podemos ser melhores!"

Podemos, podemos mesmo, Presidente Obama.

Obrigada por continuar a repetir, a inspirar-nos e a fazer-nos continuar a acreditar :)

E arregacemos as mangas e façamos a nossa parte. Nem ele, nem ninguém, muda este mundo sozinho.

No fundo, nem é um esforço assim tão grande, pois não?

E principalmente porque ainda existem pessoas como estes povos do Sudão, que esperam horas numa fila sem condições, para exercer pela primeira vez esse dever cívico e, mesmo que a escolha disponível seja pior que a nossa (é de certeza), apenas se orgulham do contributo e chamam-lhe "direito", não dever...

E emocionam-nos, e envergonham-nos ao escutar no carro esta crónica de 3 minutos na rádio (TSF - Sinais) às nove da manhã...

Escutem amigos (Aqui) e acredito que quem o faz, amanhã, não fica em casa.

Boa escolha!

 



publicado por Marta M às 17:18
Quinta-feira, 13 de Janeiro de 2011

Porque há dias em que nada nos sai de substância, mas outros parecem saber expressar a  palavra e os sentimentos do nosso coração melhor que nós, e se por cima o fazem de forma poética, pois...

Calo-me e  cedo hoje a palavra a Pablo Neruda, porque finalmente compreendo (e subscrevo) que é mesmo proibido:

 "Chorar sem aprender"....

A não ser assim, de que serviria então, tudo e o tanto que se passou?

 

É Proibido

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,

(...)

Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos

Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,

Não ter um momento para quem necessita de ti,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,

Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem ti este mundo não seria igual."

Pablo Neruda



publicado por Marta M às 20:09
Sexta-feira, 07 de Janeiro de 2011

 

 

Imagem aqui

Para que hoje pudéssemos ter o privilégio (sim, privilégio que não é realidade para todos neste planeta!) de votar em liberdade, muitos antes de nós deram a sua liberdade, e até a sua vida para que essa garantia estivesse inscrita na nossa Constituição.

Particularmente as mulheres que foram sempre discriminadas e consideradas cidadãs de segunda até há não muito tempo atrás neste país, creiam-me.

E essa luta de outros antes de nós merece reconhecimento e respeito (e memória), mesmo que os actuais representantes das nossas instituições democráticas não estejam à altura dos seus antecessores.

Mas não há de ser o mau trabalho dos actuais que há de liquidar todo o esforço de gerações de portugueses que lutaram para que a democracia fosse uma realidade, para nós e para os nossos filhos.

É por isso que volto hoje a apelar ao voto.

Ao voto livre e consciente de que, apesar de tudo e do tanto que vai emergindo de um ou de outro candidato, eles não são, de facto, iguais.

E não entro, nem alimento "fulanizações" excessivas ou o escavar contínuo que sempre produz resultados. Ainda que notoriamente forçados.

Não, as Instituições são maiores do que os seus inquilinos ou os seus representantes.

E cabe a nós escolher e separar o trigo do joio.

E de exigir que eles o separem também. E de sermos vigilantes. E exigentes.

E de apoiar as propostas que são realmente alternativas e propõem-se fazer diferente.

Porque se os colocamos todos no mesmo cesto e os rotulamos em grupo- não salvaguardando ninguém - como "corruptos" ou "desonestos" sem excepção...

Pois que cidadão de bem se quererá ver associado à política e à suposta "corja"?

Nessa altura, afastados os não totalmente "perfeitos", mas na sua essência honestos e trabalhadores e com uma ideia para o país, os lugares ficarão vazios para todos os outros - aqueles que não têm pruridos de honra e que só procuram a  oportunidade de usufruir (eles e os amigos) do tesouro e das Instituições do Estado.

O Estado é também nossa responsabilidade e quando nos pedem que expressemos a nossa opinião (também para além do voto, que não esgota todas as formas de cidadania activa) pois não deixemos que outros escolham por nós...

Mesmo que seja para votar em branco, mostrando com isso que, exerço o meu direito, mas não "vos reconheço, a nenhum, digno da minha confiança e voto."

E que os mesmos de sempre, agora tão claramente descartados, saiam de cena e deixem espaço para outros

Pode ser que outros, perante este "recado" se sintam com ânimo e coragem para vir à cena política, dar o seu contributo fresco.

E quem sabe o país e nós por extensão, ganhemos um novo rumo.

Fica o apelo e duas possíveis alternativas...

Como diz o "Tiririca": Pior que tá, não fica!" 



publicado por Marta M às 20:06
Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
17
18
19
20
21

23
24
25
27
28
29

30
31


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
Lugares que Também visito ;)
http://optimismoemconstrucao.blogspot.com/ http://joaodelicadosj.blogspot.com/ http://theosfera.blogs.sapo.pt/
pesquisar neste blog
 
Contador de visitas ...
E neste planeta...

contador gratis
subscrever feeds
blogs SAPO