Quarta-feira, 07 de Abril de 2010
Respostas...
(legendas em português disponíveis -subtitles)
 
 
Será este o segredo que permite chegar à felicidade?
Será esta a resposta?
Este cobiçado tesouro procurado desde tempos imemoriais, por gerações de homens e mulheres, por caminhos variados e a cada dia mais inventivos, recebe agora o contributo da ciência, ou melhor da Neurociência, que testou e analisou a partir da evidências monitorizáveis no cérebro, os "mecanismos" cerebrais do monge budista Matthieu Ricard, analisando  as reacções neurológicas (dele e de outros)   que se experimentam quando vivenciamos sensações de bem - estar (felicidade?). E, neste exercício, tentar perceber quais os mecanismos pelos quais este homem consegue obter níveis de evidência  de bem-estar em doses tão mais altas que a maioria dos mortais. Níveis esses, associados a sentimentos positivos que ele evidencia de forma quase permanente, como aqueles que ocorrem na sequencia de acontecimentos ou actividades que nos proporcionam prazer, mas que, na sua mente, permanecem evidentes e verificáveis, mesmo quando a vida não lhe corre exactamente como deseja.
Como se este Monge tivessse atingido um nível de paz estrutural que nenhuma conjuntura desfavorável consegue subverter totalmente....
A notícia do Diário de Notícias não sendo recente, já o  referiu, o Jornal também fez eco dela há pouco, a minha  amiga Zilda Cardoso voltou agora a falar do tema, quando alertou para a conferência que Matthieu Ricard, monge budista sujeito ao citado estudo neurológico, fez no Porto em Março - Aproveito para relembrar que o fará em Lisboa, novamente, em fins de Maio.
A conclusão mais extraordinária, para além das inegáveis e esperançosas evidências científicas que encontrei nesta nesta notícia, foi esta:
 "onde mostrou que o monge budista francês conseguiu um equilíbrio entre emoções positivas e negativas jamais visto num ser humano, com desvio para as positivas (entusiasmo, alegria) que anulava as negativas (medo, ansiedade). A conclusão deste estudo de Adam Engle é semelhante: o cérebro não é estável, ele pode mudar"
Bem, esta possibilidade (real) de podermos treinar o nosso cérebro (e coração?) para o bem estar e a felicidade, fascina-me.
Fascina-me também que as práticas de meditação, de relaxamento, de escuta atenta do nosso eu primordial, e da procura da paz interior ocupem os ciêntistas, os jornais, as notícias, as conversas e um número cada vez maior de pessoas apostadas em melhorar-se  e, em conjunto, contribuírem para o bem estar geral.
 Na sala da minha amiga Manu (Cantinho da Manu ) , por uma daquelas coincidências (?) orientadoras com as quais cada vez me deparo mais, encontrei, ou melhor reencontrei, o livro "A Profecia Celestina" e as suas nove revelações que, uma vez lidas, entendidas e levadas à prática (processo ainda em curso em mim...) permitem um grau de lucidez que ajuda a entender e a fazer o caminho.
O nosso e a "facilitar" o caminho dos outros.
Na mesma semana, a propósito de uma crise familiar, a minha cunhada (estudiosa destas temáticas) falou-me deste mestre e de parte da sua aparentemente simples, mas transformadora forma de viver...
Porque tudo me parece interligado, somei todos este acontecimentos recentes e procurei dar-lhes um sentido comum orientador...
Ainda estou neste processo e, como disponho de um pouco mais de tempo até 5ªf, tenho lido muito e meditado mais...
Prometo partilhar quando conseguir fazer uma síntese inteligível ;)
Fecho com uma citação da "Profecia Celestina":
"(...) parecia termo-nos apercebido de que se queríamos mesmo abrir-nos e centrarmos a nossa atenção no nosso potencial inexplorado como seres humanos, o que havia a fazer não era um grupo dizer a outro que devia mudar, numa tentativa de forçar a evolução social. Tinha que ver  com cada pessoa olhar para dentro de si, transformar-se por dentro e, depois pelo efeito colectivo, transformar a sociedade".
 
Ando por aqui a tentar fazer a minha parte ....


publicado por Marta M às 14:45
lindo Marta. è isso mesmo, não tentar a modificar o mundo (jamais íamos conseguir), mas sim tentar a trabalhar a nossa percepção dele. Concentrar-se nos feitos positivos, sem valorizar muito os negativos ( ai, tão difícil que é..)
Como dizia o psicoanalista Erich Fromm: "A principal tarefa do ser humano é dar a luz a si mesmo!"..lol...

Marta, força aí na 'ginástica mental'...talvez um dia também chegámos a ser ''olympic champions of happiness'' :)))
domi a 7 de Abril de 2010 às 18:28

Domi:
Obrigada pela visita e pelo comment.
Temos aprendido muito uma com a outra e ainda chegaremos mais ionge.
Tenho a certeza...
Embora eu seja um pouco mais lenta.. ;)
Beijinhos
Marta
Marta M a 10 de Abril de 2010 às 16:22

olá Marta M.
Um beijinho
Isa a 8 de Abril de 2010 às 21:39

Olá Isa:
Outro para ti e obrigada por te fazeres presente ;)
Marta M
Marta M a 10 de Abril de 2010 às 16:23

Belo pos, gostei muito .
Beijinhos
Rosinda a 8 de Abril de 2010 às 21:47

Olá!
Eu é que agradeço a tua visita e a gentilieza de me leres...
Ando sempre por aí a pensar alto...
;)
Abraço
Marta M
Marta M a 10 de Abril de 2010 às 16:35

Olá Marta
Adorei este post e como ando um pouco atarefada, vim aqui dizer-te que volto mais tarde, para te contar um segredo

Beijos
Manu
Existe um Olhar a 8 de Abril de 2010 às 22:16

Manu:
Amiga "agitadora" de consciências...
Que andarás a tramar....
Aguardo...
Abraço
Marta M
Marta M a 10 de Abril de 2010 às 16:24

Voltei, voltei Marta...não para te contar um segredo, desculpa, foi um truque que utilizei para te manter em suspense, até porque já percebi que á tua volta vão surgindo cada vez mais ferramentas que te estão a possibilitar encontrar respostas para o que procuras, basta olhar para os sábios comentários que aqui vão deixando os que contigo partilham as tuas palavras.
Sabes...eu não tenho receitas, eu não sou nem melhor nem pior que os outros, limito-me a ser apenas eu e quando comento é minha intenção partilhar aquilo que aprendo e que tento colocar em prática.
Uma das coisas que aprendi no budismo foi que antes de encarnarmos foi-nos dado a escolher a família e o sítio onde queríamos nascer, ou seja o mais propício para nos redimirmos de erros de vidas passadas e que nos permitissem evoluir como pessoas, porque quanto melhor formos nesta vida, mais fácil nos será viver a próxima.
Voltaremos cá tantas vezes, quantas as necessárias para atingirmos a perfeição.
Tenho vindo a descobrir que a felicidade está dentro de cada um de nós, que os que connosco partilham a nossa vida não passam de instrumentos, que visam testar a nossa capacidade de ultrapassar momentos menos bons e que são o espelho de nós próprios.
Claro que este processo de evolução e de bem estar espiritual, não é fácil de alcançar, mas as dificuldades aguçam o engenho, não é verdade?
Uma das estratégias que utilizo para facilitar a minha caminhada é a meditação. Assim, todos os dias me sento durante alguns minutos, em posição de flor de lótus em completo silêncio, de olhos fechados, língua no palato e me concentro apenas na inspiração e expiração, para que possa esvaziar a minha mente e haja espaço para o novo.
Acredita que não é fácil no início, há a tendência para fugir, para divagar, mas o importante é não desistir e voltar novamente à respiração.
Para quem tem dificuldade nesta prática, há outros métodos, um deles , que eu acho muito interessante é colocar um punhado de arroz em cima da mesa, e começar a contar cada grão, ficamos tão absorvidos que não pensamos em mais nada.
Marta desculpa todo este discurso, mas não resisti e penso ser minha missão, ou talvez não só minha, espalhar conhecimento.
Deixo-te um vídeo que gosto muito e que ilustra aquilo que deixei aqui.
http://www.youtube.com/watch?v=fRegNgimYKM

Desejo-te um resto de bom Domingo, que a força e a luz se façam presentes em cada dia da tua vida.

Beijos
Manu

Manu:
Deixas-me em suspense..Mas foi bom porque estimulou ainda mais a imnha procura e demanda do "graal."..
;)
Acabei de comentar o teu blog..
Abraço e obrigada a dobrar!
;)
Marta M
Marta M a 13 de Abril de 2010 às 19:48

Marta
Esta possibilidade de podermos treinar o nosso cérebro e coração para o bem-estar e felicidade é realmente fascinante. Creio que não existe UM segredo, UMA receita para sermos felizes (a cada um o seu caminho, a sua resposta), mas para mim a felicidade passa sem dúvida pelos filtros mentais com que observamos o mundo e correspondente mudança que podemos operar na nossa mente para responder mais eficazmente às condições exteriores. Partilho da opinião de Jonathan Haidt que considera a felicidade como o resultado de realidades intermédias; da prática de meditação, de relaxamento, mas também das relações que estabelecemos entre nós e para além de nós, entre nós e o nosso trabalho, entre nós e alguma coisa maior que nós. Nesse sentido a mudança do mundo começará pela nossa mudança interior, com a nossa transformação. E é incrível ver como certas coisas mudam só porque nós mudamos primeiro. Estou contigo neste caminho.
descobrirafelicidade a 8 de Abril de 2010 às 22:39

Teresa:
Realmente a felicidade pode advir de tantas práticas que, às vezes, tendo tempo, o difícil é a escolha...
E ainda me aprecem pessoas a usar fórmulas gastas e, comprovadamente, perdedoras. Incr ivel .
Tocou-me particularmente esta passagem do commment :
"E é incrível ver como certas coisas mudam só porque nós mudamos primeiro"
Absolutamente verdade.
A questão é que, às vezes, temos que mudar de uma forma que nem queríamos, até de perda de qualidade, para "colocar" alguém no seu lugar e fazer mudar a dinâmica de uma relação disfuncional...Não é exactamente o que desejaríamos, mas o que tem que ser.
Suponho que me entendes.
Incomoda-me fazê-lo. Mas resulta.
Abraço e bom descanso que 2ªf já é a doer.
;)
Marta M a 10 de Abril de 2010 às 16:32

Marta
Passei aqui só para te desejar que entres com energia renovada neste último período do nosso ano lectivo e que tenhas uma boa semana. Um abraço amigo

Olá, Marta!
Deixar a a Felicidade, morar dentro de nós, tal como ela existe, é apenas uma questão de não lhe roubarmos espaço, com problemas do exterior, que à Dona Felicidade sufocam.
Abraço
Marcolino
Marcolino a 10 de Abril de 2010 às 06:12

Marcolino:
É exactamente esse o problema...O exterior.
Conseguir essa imunidade relativa entre a compaixão e a preservação pessoal é o meu grande dilema...
Porque dentro de mim, há muito que reina paz...
Bom Fim de Semana
Abraço
Marta M
Marta M a 10 de Abril de 2010 às 16:26

Bom dia Marta
Relembrar a "Profecia Celestina" que ficou lá para trás em 1996 e contudo continua sempre tão actual a fazer-nos reflectir.
Tocar a filosofia budista tão distante do nosso frenesim ocidental e, no entanto, táo acertada e sábia.
Pensar no que alguém me disse em 2004 e que, na altura, achei um pensamento tão egoísta mas que afinal até pode estar muito correcto :"...preocupa-te mais em elevar o teu nível de evolução pessoal do que a pensar em ajudar os outros.Se elevares o teu crescimento toda a humanidade beneficiará do facto e elevarás a consciência colectiva da Terra" ´
Por arrasto estás a fazer-nos partir à descoberta individual do nosso eu da nossa luz,e a dar-nos a tua mão na caminhada
Pensamos sempre, mergulhados nas nossas "Shadowlands", que a felicidade está sempre noutro lugar, ao dobrar daquela colina.
Eu , como os outros ando também tento encontar o meu lugar.
Bem hajas por nos forçares a parar e pensar onde está o de cada um de nós, a nossa "shamballa" própria.
Envio-te muita luz e perseverança.
Acredito que vamos conseguir encontar algo e espero que muitos nos sigam.
Beijos aos molhos
Cristina
Ps - Oops, isto ficou muito sério...
Nucha...? 'Tás por aí?
Cristina Pinto Coelho a 13 de Abril de 2010 às 04:07

Olá Cristina:
Seja muito bem vinda a esta tribo!
E, logo de entrada, trazes tantas palavras e caminhos bons....
E mais pistas.
A consciência colectiva e a sua evolução, tal como referia E. Kant que dizia que, só podemos "evoluir realmente" enquanto grupo, é algo que interessa à minha alma de pessoa e à minha faceta de professora de História.
São realmente os grupos a evoluir e afazer a diferença...
Por outro lado, os agentes (nós) fazemos os grupos e vamos todos tão mais longe quanto e somatório das evoluções individuais....
Percebo-o e faz-me sentido.
Há momentos em que são tantas as direcções que fazem sentido, que me falta tempo, cabeça e coração para digerir tudo e tanto...
Ando incapaz de fazer sínteses inteligíveis ...
sinto-me mais como uma esponja ;)
Obrigada pelo teu comentário e pela tua visita ;)
Abraço de boas vindas.
Marta M
Marta M a 13 de Abril de 2010 às 19:59

Olá Marta
És professora de História, claro!
Adoro História, não continuei porque as saídas eram o ensino e eu não tenho o mínimo jeito, graças a Deus que há Martas M. no nosso país.
Obrigada pelas tuas palavras.
Espero que continues uma esponja, deixa que depois fazes uma "selecção natural" !
Também ando assim, incapaz de fazer sinteses inteligíveis e não sei se são os 50 (quase 51...) ou ou fusíveis que pifaram de vez...
Sobreviveremos!
Bj
Cristina
Ps - A Nucha do TCC é que me falou do teu blog, venho aqui quando posso, mas começaste a falar de coisas que mexeram comigo e tive de meter o nariz - e as letras, já agora - por aqui.






Que bom esse teu desejo de mais conhecimento - uma esponja é uma imagem muito engraçada, lol, lol -

Cristina Pinto Coelho a 14 de Abril de 2010 às 22:25

Cristina:
Parece que tens o que é preciso para integrar esta tribo!
E és sempre bem vinda, principalmente se também andas nesta demanda de procurar qual é o "verdadeiro caminho"..
Se o encontrares, partilhas?
;)
Abraço grande e...volta sempre :)
Marta M
Marta M a 27 de Abril de 2010 às 18:49

Podes ter a certeza que partilho, Professora!
Mas estou aberta a muita conversinha para todas encontrarmos o melhor caminho.
Quero muito Amor - pois claro! - flores e bébés.
E depois aquelas coisas imprescindíveis: tranquilidade, compreensão, sentido de humor, justiça, igualdade, etc, etc, etc.
A lista é infindável, acho que sou demasiado exigente.

Bj
Cristina
Ps - The pursuit for hapiness...Texto do Cambridge há 10.000 anos luz, quando eu era " nova e inconciente".
Nessa altura desconhecia a palavra "pursuit". Agora sei o que é a é dificil que ela fique por aí connosco, verdade?


Bj
Cristina Pinto Coelho a 29 de Abril de 2010 às 02:25

Parabéns para o seu blog é muito fofo!
crescita seno a 17 de Maio de 2010 às 14:10

Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
30


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
Lugares que Também visito ;)
http://optimismoemconstrucao.blogspot.com/ http://joaodelicadosj.blogspot.com/ http://theosfera.blogs.sapo.pt/
pesquisar neste blog
 
Contador de visitas ...
E neste planeta...

contador gratis
blogs SAPO