Domingo, 13 de Dezembro de 2009

 

Sou uma entusiasta de Obama, desde o dia em  escutei falar naquela sua forma serena e, mais ainda, quando tive a oportunidade ler os seus discursos e, mais posteriormente e que veio confirmar ainda  mais a minha empatia por ele, o seu livro "A Minha Herança". Escrito a partir de uma perspectiva absolutamente humana e franca, ao ponto de nos incomodarem algumas passagens em que fala abertamente da sua família ou do racismo que sentiu/sente e aceita com a serenidade de quem já "compreendeu" a inevitabilidade  de certa natureza humana.

O seu sorriso à "Mandela" revela essa mesma serenidade de quem já entendeu e até acolhe com compreensão as fraquezas humanas, não desanima com elas, nem perde o rumo...E isso, tendo em conta tudo e o tanto que já viveu é de uma resiliência enorme e...testada.

A sua política pela positiva, pelo diálogo acolhedor e pela inclusão, é absolutamente radical, desinstala e traz uma perspectiva alicerçada numa bagagem de vida (e origens) que lhe permite testemunhar desde baixo e com obra feita. Não é para qualquer um, convenhamos.

Sobre a polémica que se desatou a partir da atribuição do Nobel da Paz a alguém com base no seu potencial, balanceei entre a surpresa, o assentimento e a reprovação. Comparando-o com os outros galardoados (Mandela, Ramos Horta, Madre Teresa, Luther King...) ainda terá que "mostrar serviço", digamos assim. Mas isso não pareceu impedir o comité de atribuição do galardão, porquê?

Penso que já o compreendi. E hoje, tudo somado, dou o meu apoio sem reservas.

Explico melhor:  vivemos tempos estranhos, de colapso do sistema e mudança do paradigma em que nos habituámos funcionar, mas principalmente, vivemos um tempo de  descrença. Pior: de ausência de bons exemplos, de valores e pessoas que nos inspirem.

Por isso, não foi difícil concluir que Obama é o homem certo para estes tempos de crise instalada e sem resolução certeira e eficaz à vista. Estes tempos pedem que se olhem velhas realidades "com óculos novos" . Estes tempos pedem pessoas diferentes e dispostas a escutar, pesar e decidir com base em mais do que uma única perspectiva. Pessoas capazes de perceber tudo o que está em causa, ponderar, e decidir - porque, sim, há que fazê-lo goste-se ou não (o seu discurso de agradecimento, sendo um galardoado que é também um presidente em guerra, é algo que só ele conseguiu tornar possível, e quase aceitável)...

Estes tempo pedem que todos se empenhem e contribuam para  resolução e para a construção de um mundo novo, mais humano e dialogante.Já não é possível funcionar na forma em que o fizemos até agora...Vejam aonde isso nos levou.

Um exemplo destes, de alguém improvável (observemos as suas origens étnicas e percurso), que subiu a pulso, que é capaz de nos inspirar, nos desinstalar pela surpresa, pela essência da sua diplomacia, pelo registo e pelo exemplo, mostrando que, apesar do horizonte negro, é possível usar outros caminhos...É difícil de encontrar.

Alguém que nos dá uma esperança coerente e possível, em tempos de descrédito? Merece este prémio, e acredito que desde já.

E estamos seguros nesta atribuição, porque ele entende a responsabilidade (mais uma) que lhe caiu em cima.

Escutemos as suas palavras:

"Em todo o mundo há homens e mulheres que foram presos ou espancados enquanto procuravam justiça; há quem trabalhe sem descanso nas organizações humanitárias, para aliviar o sofrimento; e há milhões de anónimos cujos actos silenciosos de coragem e compaixão inspiram até ao mais cínico. Não posso discutir com quem diz que que estes homens e mulheres(...) são muito mais merecedores que eu desta honra" .

Sim, percebemos o peso e a responsabilidade, mas quem, senão ele, mais nos inspirou no último ano?

Quem, se não ele, nos mostrou que "melhor é possível" (L. Alves)?

Quem, se não ele, há de fazer tudo para ser, todos os dias que hão de vir, mais merecedor desta distinção?

 



publicado por Marta M às 20:20
Olá, Marta!
Desejo-lhe um óptimo dia pleno de alegrias!
Nasci em África. Vim para Portugal, onde me fixei, aos 27 anos. Na devida altura tomei conhecimento, e segui, quanto me era possivel, as vidas de Mahatma Gandi e de Nelson Mandela. Não foram figuras forjadas. Foram figuras reais e altamente sofredoras. Gandi o Politico Honesto e Lutador que foi morto por conveniências sóciopoliticas. Mandela um lutador sóciopolitico, preso pelos racistas sulafricanos, solto pelos mesmos por pressões internacionais, tornado um presidente com muitissimo carisma para debelar o tal aparteid instalado quase que definitivamente pelos Boer's.
De Obama apenas sei aquilo que se conta nos média. Acho-o simpático e inteligente. Carisma não tem. Tem, isso sim, o apoio maioritário dos brancos estadunidenses. Respeito-o, acima de tudo, porque ainda não me deu provas em contrário.
Compará-lo aos seus antecessores, ainda é muito cedo.
Compará-lo, ou mesmo igualá-lo, a Gandi ou a Mandela, jamais será possível. São percursos de vida completamente diferentes.
Quanto a ser galardoado com o tão desejado Nobel da Paz, mais uma vez se veio provar que este prémio se tornou num jogo de oportunismo politico.
Vejamos o caso Xanana e Horta. Sempre preferi Xanana Gusmão a Ramos Horta, que conheci pessoalmente, aqui em Lisboa.
Abraço
Marcolino
Marcolino - Poetagens a 14 de Dezembro de 2009 às 09:17

Marcolino:
Bom dia.
Percebo o seu ponto de vista. E até partilhei, no início, parte da sua perspectiva...
Mas depois, como explico, fui entendendo a ideia de "incentivar" a esperança e, nesse ponto, Obama é a pessoa certa. Para mim, claro.
Quanto a não ter carisma? Meu amigo, permita-me discordar, porque do meu ponto de vista ele têm-no, e muito.
Quem conseguiria manter as expectativas tão altas, começar a mexer em lobbies como o da saúde nos EUA, manter-se firme na sua linha durante tanto tempo, ter aqueles discursos que movem pedras e continuar com aquele ar sereno que nenhuma vaidade desestabiliza?
A mim ele parece-me um predestinado...
Esperemos é que as expectativas se cumpram, à escala humana, claro..No fundo ele não passa de um homem.
Eu sei.
Abraço e obrigada pelo comentário franco.
;)
Marta M a 15 de Dezembro de 2009 às 09:43

Olá, Marta!
Grato pela sua cpnvicta resposta ao meu longuissimo comentário. Contudo friso que Luther King teve muito carisma muito para além do lutador incansável pelo bem estar dos negros nos Estados Unidos. A meu ver e sentir, Obama, que muito prezo e também respeito, ainda tem que nos dar a tal «prova carismática».
Até agora tem sido um modesto intérprete da partitura dos Estados Unidos no que toca aos usos e costumes internacionais.
Estou e estarei de ôlho nele para não ser surpreendido por um bbrruuuááá... internacional.
Marta, estes meus cansados olhitos já viram tanta coisa na vida que não me deixo influenciar por esta eleição de um negro como Presidente de todos os americanos. Foi mesmo necessário, dado o descrédito, dos seus antecessores, no cenário da Politica Internacional. A História o revelará!

Por aqui está de gelar os velhotes que se atrevam a deitar os seus narises fora da janela.

Abraço

Marcolino

Marta:
APESAR do tema não ser consensual, admiro essa tua maneira de ser e de de dizeres sempre o que pensas.
por aqui gela-se
Paulo César
Paulo C a 15 de Dezembro de 2009 às 17:33

César:
Faz-se o mellhor que se pode com as ferramentas que temos..Quanto a dizer o que penso, sabes que procuro sempre fazê-lo, principalmente quando sinto em amigos (como tu e tantos, felizmente) que a "alma não é pequena"...
Obrigada pelas boas palavras também sempre sinceras... ;)
Abraço meu amigo
Marta M a 17 de Dezembro de 2009 às 12:36

Olá amiga Marta!
Obama é realmente um homem extremamente carismático e conseguiu fazer o que já muitos de nós haviam desistido: Acreditar e ter esperança.

Em relação ao Nobel, sou-te franca, achei cedo demais tendo em conta que, considero que o foi entregue mais pelo que foi por si dito do que foi já feito.
Grandes ideias tem o senhor sem duvida, mas ainda não teve tempo de as por em prática, achando por isso, que foi cedo demais. Daqui a uns anos, se conseguir que as suas ideias sejam postas em prática, sim, o Nobel viria com justiça, considero eu.
Sabes, algo que não consigo equiparar é Obama a um Nelson Mandela, daí ter achado o prémio precipitado.
Mas sem duvida que Obama foi quem mais se destacou e tocou nas pessoas neste ano.... talvez tenha sido esta também uma das razões para as distinção...

Um abraço e julgo que não levas a mal a honestidade com que comentei este teu post
Caminhando... a 15 de Dezembro de 2009 às 21:14

Joana, minha amiga:
Como poderia levar a mal a tua forma honesta de comentar o meu post?
A unanimidade (que às vezes nos sabe bem pela harmonia que tanta falta nos faz...) não nos permite avançar tanto, nem nos obriga a rever a nosso posição inicial...E já se sabe que perante uma posição (post, neste caso) podemos sempre concordar, discordar e até acrescentar um novo ponto de vista...E isso enriquece-nos a todos.
Gosto muito de debater e argumentar. Mais, gosto de escutar as minhas amigas e aprendo sempre com elas.
Obrigada, mais uma vez ;)

Nota: Cá entre nós, rezo, torço para que o Obama não nos desiluda ....
Marta M a 17 de Dezembro de 2009 às 14:49

Querida Marta!
Fico muito contente por partilharmos mais um valor em comum :)
O de que é com a troca de ideias que existe um verdadeiro enriquecimento.
Nem sempre é isto que sucede daí que, temos de ter muito cuidado quando mostramos que discordamos da opinião de alguem. Por vezes é encarado como ataque.
Mas fico contente por ver que posso ser honesta e falar com o coração contigo.

Um abraço grande
Caminhando... a 18 de Dezembro de 2009 às 10:20

Marta, estou o mais possível de acordo consigo. e não com os que acham que foi cedo de mais para o Prémio. Como... cedo de mais? Ele inspira pensamentos positivos, de serenidade e de paz. Leva-nos a recordar que a violência e a guerra são da natureza humana e não é no espaço de uma geração que se modifica radicalmente essa natureza. Ele acredita e leva-nos a acreditar no progresso humano, i.e., na possibilidade de aperfeiçoarmos a n/natureza, esforçando-nos e lutando pela justiça, pela dignidade... pelo respeito pelos direitos dos outros e pelos n/deveres para com eles (e pelos n/direitos e deveres deles). Haverá guerra, diz ele, mas isso não nos impedirá de lutar pela paz. O n/ trabalho na Terra, e podemos fazê-lo, será esse: LUTAR PELA PAZ. Da maneira possível neste nosso mundo, tal como se encontra. Obama não é um pacifista, mas é a tal voz "das aspirações que são universais". Talvez no presente precisemos mais de um lutador que de um pacifista. Por isso, no meu entender, ele merece o mais possível um prémio como fazedor de paz.
Zilda Cardoso a 16 de Dezembro de 2009 às 09:29

Zilda obrigada pelo texto tão eloquente -na sua linha, sublinhe-se - e que me traz ainda mais razões para apoiar esta distinção. Ainda agora estive a ver (rever) na SicNotícias os três dias anteriores à sua eleição e confirmei que aquele homem tem mesmo algo de predestinado.
Também confio.
Obrigada pela visita .
Marta M
Marta M a 19 de Dezembro de 2009 às 17:52

também sou uma "apaixonada" pelo Obama e essas palavras demonstram bem o seu carácter...
(Virei mais vezes aqui:)
Loira a 17 de Dezembro de 2009 às 09:52

Olá.
Seja bem vinda por aqui ;)
E é bom saber que Obama é capaz de mobilizar tanta gente ao redor do mundo, não é?
Obrigada pela sua visita. Como lhe disse, gostei do seu blog - bem humorado e muito genuíno.
Até qualquer hora ;)
Marta M
Marta M a 19 de Dezembro de 2009 às 17:38

Olá Marta. Também sou uma admiradora deste senhor. E acredito que com o poder que os americanos lhe concederam ele será capaz de fazer grandes coisas por todo o mundo!
Bjns
cuidandodemim a 17 de Dezembro de 2009 às 12:36

Olá amiga:
Obrigada por participares deste "debate" sobre o Obama, foi bom perceber como ninguém lhe fica indiferente: para o bem e para o mal. Bom sinal, é sinalque mexe... ;)
Quantos aos americanos, ficamos, depois de nos terem vindo socorrer em duas Guerras, a dever mais esta ;)
Bom fim de semana para ti (espero que seja!)
Marta M
Marta M a 19 de Dezembro de 2009 às 17:42

Partilho completamente a sua opinião sobre o actual Nobel da Paz!
Cumprimentos
daplanicie a 17 de Dezembro de 2009 às 12:37

Olá
Este post tem sido tão interessante de seguir a partir deste debate que se instalou nos coments, não é?
Gosto muito de escrever os posts, mas gosto ainda mais de "escutar" as minhas amigas virtuais (já te incluí...) e aprender com o que me escrevem e com as perspectivas que me acrescentam.
Obrigada, então.
Bom fim de semana.
Marta M a 19 de Dezembro de 2009 às 17:57

Marta
Como dizes o seu sorriso revelador da "serenidade de quem já entendeu e até acolhe com compreensão as fraquezas humanas, não desanima com elas, nem perde o rumo" fazem-nos acreditar que é possível apostar na esperança. Acredito sinceramente que vai ser uma aposta ganha por todos nós. Abraço feliz de fim de semana!
descobrirafelicidade a 18 de Dezembro de 2009 às 14:40

Teresa, amiga:
Imagino que a tua semana tenha sido o sufoco que foi a minha...E ainda não terminámos, pois não?
Obrigada pelo teu comentário e por sublinhares a ESPERANÇA, essa que nos vai ajudando a "não partir a louça toda" e a acreditar que, sempre, é possível mudar o que nos vai incomodando..E, se tudo correr bem, um dia, o mundo.
Já sabes que sou optimista militante e penso que tu também.. [<<-]
Marta M a 19 de Dezembro de 2009 às 18:02

Martinha
Já vi que tens muitos comentários sobre este tema, e eu nem me atrevo a colocar o que penso, por hoje mas voltarei com mais
tempo para ler o que escreves , hoje vim só desejar-te um
Bom Natal e Bom Ano, com a concretização de todos os teus sonhos.
Fica feliz
beijinhos
da rosa
rosafogo a 20 de Dezembro de 2009 às 22:45

Olá!
Desculpa tanta demora na resposta, mas esta semana das avaliações e Conselhosde turma na escola estão a deixar-me de rastos...
Obrigada pela tua visita e até pelo teu coment "silencioso" neste debate tão giro que por aqui se instalou!
É mesmo isso, Obamanão deixa ninguém indiferente. E estas a vontade para comentar e discordar ;)
Este é um espaço democrático ;)
Bom Natal se não falarmos entretanto
Abraço
Marta M a 23 de Dezembro de 2009 às 21:27

Será quase impossível não simpatizar com Obama, num marasmo de politicos que o deixaram de saber ser, este é o único!
Claro que sendo o Unico, vai ser dificil conseguir fazer o que se estipulou a fazer, dado ter muitos que não querem que ele o faça e outros desejosos que ele caia.
Ao que parece está no bom caminho o Programa de Saude, para todos nos EUA.
Espantosamente num País, que ainda é o primeiro, podem morrer quase 40 milhoes de norte-americanos, por não terem SNS. Obama parece que vai consegui-lo. Esperemos que sim.
Seria a 1ª vitória! A 1ª promessa cumprida, e as restantes iriam seguir-se...
A. Küttner de Magalhães a 22 de Dezembro de 2009 às 23:14

Olá Augusto:
Como vai? É um gosto tê-lo por aqui.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Olá Augusto: <BR>Como vai? É um gosto tê-lo por aqui. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Realmente,se</A> Obama conseguir criar o indispensável Serviço Nacional de Saúde naquele país será um feito que marcará a História contemporânea e, claro, abre a porta para muitos outros. <BR>Tenho muita expectativa realista , espero) neste homem, especialmente no seu bom exemplo que pode inspirar outros. <BR>Acho que ele ainda não acreditou nos que lhe disseram que "era impossível". <BR>Gosto particularmente de pessoas assim. <BR>
Marta M a 23 de Dezembro de 2009 às 21:34

Vejo o mundo, somo o que me acontece, vejo os outros, as minhas circunstâncias....Escolho caminhos e vou tentando ver o "lugar" dos outros
Afinal quem penso que sou..
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
25
26

27
29
30
31


Aviso:
As imagens que ilustram alguns posts resultam de pesquisas no google, se existir algum direito sobre elas, por favor,faça-me saber. Obrigada.
Lugares que Também visito ;)
http://optimismoemconstrucao.blogspot.com/ http://joaodelicadosj.blogspot.com/ http://theosfera.blogs.sapo.pt/
pesquisar neste blog
 
Contador de visitas ...
E neste planeta...

contador gratis
blogs SAPO